La Niña continua ativo e irá provocar calorão no Rio Grande do Sul

O fenômeno La Niña continua ativo no Rio Grande do Sul. A baixa pluviometria prevista para os próximos 16 dias no Estado aumenta a chance de perdas na soja.

Compartilhe:

O fenômeno La Niña continua ativo no Rio Grande do Sul. A baixa pluviometria prevista para os próximos 16 dias no Estado aumenta a chance de perdas na soja.

No Rio Grande do Sul, o La Niña, diferentes de outras regiões do Brasil, irá provocar chuva irregular durante esse mês. Segundo a Climatempo, na Fronteira Oeste, em Alegrete e Uruguaiana por exemplo, estimam-se menos de 20mm de chuva em quase duas semanas.

A tendência será de retorno do calor intenso a partir do fim desta semana no Rio Grande do Sul. De acordo com a Climatempo, há previsão de muito calor (máximas em torno dos 40°C) no dia 11 de fevereiro e entre 17 e 19 de fevereiro.

A situação é preocupante para a soja do Rio Grande do Sul. A umidade do solo está baixa e a boa parte das áreas
produtoras já está em fase vulnerável à estiagem.

Para Santa Rosa, por exemplo, a próxima precipitação acontecerá somente em 17 de fevereiro, dentro de dez dias, prevê o agrometerologista Celso Oliveira.

O fenômeno La Niña também provocou frio. Chamou a atenção o registro de madrugada mais fria na Região Sul nesta última segunda- feira (7). A temperatura mínima chegou aos 7°C em General Carneiro-PR, 5,4°C em Urupema-SC e 8,9°C em Quaraí-RS.


Compartilhe: