Tropas russas se aproximam de Kiev e cerco se intensifica; míssil atinge prédio residencial

Guerra na Ucrânia entra no terceiro dia com cerca de 200 mortos. Metrô de Kiev está fechado para servir de abrigo aos moradores durante os bombardeios.

Compartilhe:

A capital da Ucrânia, Kiev, está cada vez mais cercada por tropas russas, que avançam lentamente até o centro da cidade. Elas estariam a cerca de 30 quilômetros do palácio de governo ucraniano.

Durante a madrugada deste sábado (26), confrontos foram registrados no oeste e no sul da capital. Um prédio residencial foi atingido por um míssil da Rússia entre o 18º e o 21º andar. Não há relatos de mortes no local, apenas de dezenas de feridos.

“Nós resistimos e com sucesso o ataque do inimigo. Mais ataques irão acontecer, mas vamos resistir e defender o nosso país. Eles querem colocar fantoches em todas essas cidades, como fizeram no Donbass, mas eles não vão conseguir”, disse o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky em pronunciamento.

“Eles estão destruindo também prédios residenciais e isso mostra que eles querem fazer uma invasão total”, acrescentou o mandatário, pedindo ainda para que os homens e mulheres que fugiram voltem para defender a Ucrânia. “Todos que querem se unir a nós, venham. Nós vamos dar armas a vocês”, afirmou ainda.

No entanto, apesar dos ataques aéreos terem cessado temporariamente, tiros e bombas são ouvidas em algumas partes da capital. O prefeito de Kiev, Vitali Klitschko, informou que a rede de metrô da capital não vai mais funcionar para se tornar apenas uma abrigo antibombas para a população. Até o momento, quatro estações serviam de refúgio.

“O Exército russo não entrou na cidade, mas estão previstos mais ataques aéreos. Permaneçam nos refúgios antiaéreos e não saiam dali”, acrescentou Klitschko.

O Ministério da Saúde da Ucrânia informou que o balanço de vítimas até agora é de ao menos 198 pessoas, incluindo três crianças. Os ucranianos também informaram que “mais de mil soldados” russos foram mortos. No entanto, não é possível afirmar de forma independente a quantidade real de vítimas e feridos.

Já o Ministério da Defesa da Rússia afirmou que durante a noite de sexta-feira (25) e a madrugada de sábado foram atingidas 821 infraestruturas militares de Kiev, incluindo 14 pistas de aterrissagem militar, 19 centros de controle e centros de comunicação, 24 sistemas de defesa aérea antimísseis S-300 e OSA e 48 estações de radar.

A guerra na Ucrânia começou na quinta-feira (24) por ordem de Vladimir Putin com uma série de ataques que partiram do sul do território (via Crimeia), ao leste (via Donbass) e ao norte (via Belarus). Apesar da enorme desproporção de forças entre russos e ucranianos, as forças de Kiev têm sido bastante resistentes, atrasando o avanço de Moscou.


Compartilhe: