Rio Grande do Sul tem queda nos indicadores de crimes violentos, mas feminicídios aumentam

O levantamento destaca que, com a diminuição desses crimes, 2.056 vidas foram preservadas desde 2018 no Rio Grande do Sul

Compartilhe:

O Rio Grande do Sul teve uma redução considerável nos crimes violentos em 2021. É o que consta no balanço de indicadores criminais do Estado, divulgado nesta quinta-feira (13/1). O anúncio foi feito pelo vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior, na Praça Central de Alvorada. O governador Eduardo Leite participou por videoconferência.

O levantamento destaca que, com a diminuição desses crimes, 2.056 vidas foram preservadas desde 2018 no Rio Grande do Sul. O governo atribui essa queda com a implantação do Programa RS Seguro.

Porém, se forem observados separadamente, há uma diferença nos indicadores destes crimes. São considerados CVLI (crimes violentos letais e intencionais) homicídios, latrocínios e feminicídios.

No que diz respeito aos homicídios, foram 1.561 vítimas contra 1.811 em relação ao ano anterior, o que representa uma queda de 13,8%. O crime de latrocínio, roubo seguido de morte, também diminuiu. O indicador foi de 69 para 60, 13% menor em 2021.

Porém, o número de feminicídios aumentou. No ano passado, 97 mulheres foram assassinadas. Em 2020, foram 80, uma alta de 21%.

Alvorada

A praça central de Alvorada, na Região Metropolitana, foi escolhida em função de um dado positivo. A cidade teve a maior redução de vítimas de homicídio em 2021 entre as 497 cidades gaúchas. Houve 69 mortes por assassinato, 47 a menos que as 116 ocorridas em 2020, uma queda de 40,5%.

Alvorada já foi considerada o sexto município mais violento do Brasil, conforme o Atlas da Violência produzido pelo FBSP (Fórum Brasileiro da Segurança Pública) com dados de 2017.


Compartilhe: