Inflação fecha 2021 em 10,06%, a maior alta desde 2015

O resultado da inflação de 2021 foi influenciado principalmente pelo setor de transportes

Compartilhe:

O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) fechou o mês de dezembro com alta de 0,73%. Com isso, a variação do indicador no ano de 2021 foi de 10,06%. O número é maior que os 4,52% registrados em 2020. Esta também é a maior taxa acumulada desde 2015, segundo dados divulgados nesta terça-feira (11) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O resultado de 2021 foi influenciado principalmente pelo setor de transportes, que apresentou a maior variação, de 21,03%, além do maior impacto, no acumulado do ano. A alta do grupo Transportes está relacionada principalmente ao preço dos combustíveis, que teve alta de 49,02% ao longo de 2021.

O IBGE destaca também as variações das passagens aéreas, que tiveram alta de 17,59%. Outra atividade com alta foi a dos transportes por aplicativo, que registraram alta de 33,75% em 2021, em contraste com o que ocorreu em 2020, quando os preços recuaram 5,77%.

Depois dos transportes vieram os setores de Habitação (13,05%), Alimentação e bebidas (7,94%). Juntos, os três grupos responderam por cerca de 79% do IPCA de 2021. Com o resultado, a inflação de 2021 extrapolou a meta de 3,75% definida pelo Conselho Monetário Nacional, cujo teto era de 5,25%.


Compartilhe: