Com previsão de calor intenso no Rio Grande do Sul, saiba como reforçar sua hidratação

Os dias de calor podem afetar, principalmente, idosos, crianças, hipertensos e diabéticos. O acesso à agua deve ser fácil e o consumo deve ser incentivado.

Compartilhe:

O Rio Grande do Sul deve enfrentar dias de intenso calor ao longo desta semana, com temperaturas próximas ou acima de 40°C. Para enfrentar temperaturas tão extremas, é preciso reforçar a hidratação e evitar a exposição a ambientes quentes e exposição direta ao sol.

Os dias de calor podem afetar, principalmente, idosos, crianças, hipertensos e diabéticos. O acesso à agua deve ser fácil e o consumo deve ser incentivado, mesmo que a pessoa diga que não está com sede. É preciso cuidado principalmente em creches e em lares de idosos, em que a pessoa está desacompanhada de um familiar.

As intensas temperaturas também podem causar exaustão pela perda excessiva de água e sal. Os sintomas podem incluir a transpiração, fraqueza, tonturas, náuseas, dor de cabeça, cãibras musculares e diarreia.

Os desmaios pelo calor, chamados de síncope, são originados na perda de fluidos do corpo através do suor e diminuição da pressão do sangue devido ao acúmulo de sangue nas pernas. Inchaços, brotoejas e cólicas também estão na lista de problemas (também chamados agravos) que devem ser prevenidos no calorão.

Os agravos que o calor pode causar são geralmente decorrentes da desidratação. O stress térmico se caracteriza pela sobrecarga de calor, que inclui temperatura do corpo acima de 40ºC, perda completa ou parcial de consciência ou capacidade mental reduzida.

Recomendações para evitar esses e outros agravos

Proteja-se do sol e do calor:

  • Evite a exposição direta ao sol, em especial, entre as 10 e as 16 horas;
  • Use chapéus e óculos escuros, especialmente para pessoas de pele clara. Proteja as crianças com chapéu de abas;
  • Use roupa solta, de preferência de algodão, e aplique sempre protetor solar;
  • Diminua os esforços físicos e repouse frequentemente em locais à sombra, frescos e arejados.

Beba líquidos e faça uma alimentação equilibrada:

  • Aumente a ingestão de água ou de sucos de frutas naturais, sem adição de açúcar, mesmo sem ter sede;
  • Evite bebidas alcoólicas e com elevado teor de açúcar;
  • Faça refeições leves, pouco condimentadas e mais frequentes.

Refresque-se:

  • Permaneça de 2 a 3 horas por dia num ambiente fresco. Se isso não for possível em sua casa, desloque-se para centros comerciais ou outros locais com ar condicionado, usando máscara e mantendo o distanciamento social para evitar aglomerações por síndromes respiratórias;
  • No período de maior calor, tomar banho com água ligeiramente morna. Evite mudanças bruscas de temperatura.

Em casa:

  • Evite a entrada do calor. Feche cortinas e/ou janelas mais expostas ao calor e facilite a circulação do ar;
  • Abra as janelas durante a noite;
  • Utilize menos roupas de cama e vista-se com menos roupas ao dormir, sobretudo, em bebês e pessoas acamadas.

Em viagem:

  • Se o carro não tiver ar condicionado, não feche completamente as janelas;
  • Leve água ou sucos de frutas naturais sem adição de açúcar;
  • Sempre que possível, viaje de noite, observando, porém, a situação de segurança no trânsito;
  • Evite a permanência de crianças, pessoas doentes ou idosos em viaturas expostas ao sol.

Procure e dê ajuda:

  • Não hesite em pedir ajuda a um familiar ou vizinho no caso de se sentir mal com o calor;
  • Informe-se periodicamente sobre o estado de saúde das pessoas que vivem só, idosas ou com dependência que vivam perto de si e ajude-as a protegerem-se do calor.

Consulte seu médico nos seguintes casos:

  • Sofrer de doença crônica ou estiver em dieta com pouco sal ou com restrição de líquidos;
  • Estiver fazendo uso de medicamentos;
  • Ter sintomas pouco habituais.

Conteúdo publicado originalmente em 30 de dezembro de 2019 e adaptado em 11 de janeiro de 2022


Compartilhe: