Abastecimento de água é afetado por calor e baixo nível do Guaíba na zona sul de Porto Alegre

O Dmae também alerta para a possibilidade de falta de água em algumas localidades entre hoje e amanhã (12)

Compartilhe:

O abastecimento de água em Porto Alegre está sendo afetado pelo forte calor que atinge a Capital e o restante do Estado esta semana. Somado ao alto consumo, o Guaíba apresenta baixo nível, o que complica ainda mais a captação de água.

Conforme o Dmae (Departamento Municipal de Água e Esgotos), a região abastecida pelo Sistema Belém Novo, área com conhecido déficit histórico, está sentindo os efeitos dessa combinação de calor e baixo nível da água. O que o sistema está produzindo de água tratada não é suficiente para manter os reservatórios cheios e atender a demanda das zonas Sul, Extremo-Sul, Lomba do Pinheiro e Restinga.

O Dmae alerta para a possibilidade de falta de água em algumas localidades entre hoje e amanhã (12). São elas: Campo Novo, Vila Nova, Hípica, Ipanema, Restinga, Belém Novo, Aberta dos Morros, Altos da Santa Rita, Ipanema Garden, Parque Ipanema, Alphaville, Chapéu do Sol, Beco do Armando, Parque do Lavoura, Lageado; estradas Luís Bettiol, Cristiano Kraemer e Jorge Pereira Nunes, e ruas Tomé Antônio de Souza e Maurílio Ferreira.

Para amenizar o problema, o Dmae está adotando medidas. As de maior impacto são as que justamente interrompem o abastecimento: são manobras de parada de estações de bombeamento para encher novamente os reservatórios e poder retomar a distribuição. Também estão sendo enviados caminhões-pipa para atender as comunidades afetadas.

Outra medida anunciada é a instalação de comportas para isolar as captações em momentos de maior turbidez do lago Guaíba e colocando mergulhadores para melhorar o entorno da captação. No ponto de captação da água para tratamento, na baía de Belém Novo, a baixa do nível no Guaíba, associado ao vento, tem gerado alta turbidez da água bruta. Quanto mais turva, mais tempo demora para a água se tratada.

““A estiagem está piorando os sintomas já sentidos nos últimos verões pelo sistema Belém Novo e estamos trabalhando com força máxima para tentar minimizar esses efeitos com as armas que possuímos. Porém, a situação da estiagem supera a nossa capacidade operacional. Entendemos as dificuldades pelas quais os moradores estão passando, mas pedimos a máxima conscientização da população, para que não desperdicem a água”, afirma o diretor-geral do Dmae, Alexandre Garcia.

A solução definitiva para este problema é o novo Sistema de Abastecimento de Água Ponta do Arado. O projeto está em construção, mas só deve ficar pronto em 2024.


Compartilhe: