Dois morrem e buscas a criminosos que atacaram carro-forte em Guaíba prosseguem

Crime ocorreu na manhã desta quarta-feira em Guaíba. Quadrilha tentou fugir em direção da Capital, mas foi interceptada pela polícia.

Compartilhe:

Dois integrantes da quadrilha que atacou um carro-forte e um supermercado em Guaíba, na região metropolitana, morreram em confronto com a Brigada Militar. Outros dois foram presos. Os últimos dois integrantes da organização criminosa seguem foragidos e as buscas a eles prosseguiram durante toda a tarde desta quarta-feira (29).

Conforme a BM, um dos ladrões morreu durante a tentativa de viabilizar a fuga dos comparsas por uma área de mata. Logo em seguida, cerca de trinta minutos depois, houve um segundo confronto, em que outro integrante do esquema criminoso morreu. Os outros dois ladrões seguem escondidos em uma área de mata, que está cercada pela Brigada Militar.

Os policiais seguem fazendo incursões para tentar capturá-los ainda com a luz do dia. Para tal, são usadas equipes da Brigada Militar por água, terra e ar. Durante a manhã, um helicóptero da Brigada Militar chegou a ser alvo de disparos de arma de fogo, mas não foi atingido.

Durante as buscas, foram encontrados malotes que haviam sido roubados do carro-forte. No entanto, a BM não confirma o valor apreendido. A estimativa é que sejam R$ 3,3 milhões, que estavam no veículo de transporte de valores. A empresa de segurança que fazia a guarda dos valores ainda vai realizar a contabilidade, para identificar a quantia exata e compará-la com o que foi roubado.

Dois carros, entre eles uma cópia de uma viatura da Polícia Civil, foi apreendida. A plotagem do veículo segue o padrão usado pela corporação, exceto pela inscrição “Policía” com o acento no segundo “i”. Mais cedo, uma van Mercedes-Benz Sprinter 308D foi apreendida na ponte do Jacuí, em Porto Alegre. Dentro do veículo foram encontradas as roupas, parte das armas e o dinheiro.

Foto: Brigada Militar / Divulgação

Como foi o crime

O ataque ao supermercado Nacional, em Guaíba, ocorreu por volta das 11h da manhã. Pelo menos seis ladrões invadiram o local e renderam vigilantes de um carro-forte, no momento em que caixas eletrônicos eram abastecidos. Eles usavam uniformes que simulavam ser do DEIC (Departamento Estadual de Investigações Criminais). As armas dos seguranças foram recolhidas, assim como os malotes com o dinheiro. Na sequência, os ladrões fugiram em três carros.

Para despistar a polícia, eles trocaram de carro e entraram no furgão, que acabou sendo abandonado na Ponte do Jacuí, na entrada de Porto Alegre, e uma Renault Duster, deixada na Ilha dos Marinheiros. Para seguir com a fuga, eles roubaram uma Mitsubishi L200 de um morador da região.

Dois criminosos foram presos logo em seguida. Os outros quatro renderam dois pescadores e exigiram o transporte até a Ilha do Pavão. O motor do barco falhou e os reféns tiveram que atravessar o rio com remos. Depois que chegaram do outro lado, libertaram os reféns. No início da tarde, os criminosos atiraram contra um helicóptero da Brigada Militar que participava das buscas, mas não foi atingiram o alvo.

Por volta das 15h, foi registrado um intenso confronto após uma guarnição do BOPE (Batalhão de Operações Especiais) ingressar na mata. Um criminoso morreu no tiroteio. Meia hora depois, houve uma segunda troca de tiros, que resultou na morte do segundo ladrão. As buscas prosseguem na região e não há prazo para término da operação na região das Ilhas.


Compartilhe: