Ouça no Meio-Dia: a operação contra organização criminosa que fazia tráfico de animais silvestres no RS

Confira as principais notícias da manhã desta quinta-feira, 25 de novembro de 2021, no podcast Meio-Dia.

Compartilhe:

Ouça o podcast Meio-Dia também em outras plataformas:

Polícia Civil, Brigada Militar e Ibama, realizam desde o início da manhã de hoje uma operação para desarticular uma organização criminosa que realizava caça ilegal, além de tráfico de animais e armas. Ao todo, são cumpridos 44 mandados de busca e apreensão e cinco de prisão temporária em 14 cidades das regiões Metropolitana e Carbonífera e dos vales do Sinos, do Caí e Paranhana. Até o início da manhã, 10 pessoas haviam sido presas. A apuração indica que os investigados criaram grupos de WhatsApp e lojas virtuais em redes sociais para fazer o comércio ilegal. Entre outras coisas, eles ofereciam, por exemplo,  pássaros por  R$ 2.500 reais e cobras por R$ 1.500. Alguns destes animais estão, inclusive, ameaçados de extinção. A ação é tida como a maior da chamada Operação Arca, da 2ª Delegacia Regional Metropolitana. Trata-se de um trabalho permanente contra os maus-tratos a várias espécies da fauna. Os trabalhos começaram em maio, após uma denúncia da ONG Rede de Proteção Ambiental e a Animais, a Repraas. Desde lá começou a investigação da 4ª Delegacia de Canoas, que ocasionou a prisão de dois suspeitos e a identificação de 29 pessoas que estariam envolvidas no esquema. Cinco delas foram apontadas como responsáveis por coordenar a caça e o tráfico de animais silvestres.

Um homem morreu na madrugada de hoje, em um acidente entre um carro e uma carreta, na BR-290 em Butiá, Região Carbonífera. A vítima, de 32 anos, não teve a identidade divulgada. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, um Uno com placas de Santa Cruz do Sul ia no sentido Capital – Interior quando houve uma colisão com a carreta com placas de Santana do Livramento, que vinha no sentido contrário. O condutor do carro morreu no local. O motorista da carreta ficou preso às ferragens mas foi socorrido com lesões leves.

O projeto de lei que institui o Programa de Reabilitação do Centro Histórico de Porto Alegre foi aprovado em sessão extraordinária pelos vereadores na noite de ontem. Foram 26 votos a favor. Cinco emendas apresentadas foram rejeitadas. A intenção do projeto é criar instrumentos legais para recuperação e transformação urbanística do Centro Histórico e atrair novos empreendimentos para a região, especialmente os residenciais. A meta é dobrar o número de moradores no centro. As empresas interessadas em investir na área central vão precisar respeitar alguns critérios como adoção do uso misto, ou seja, residencial e comercial, qualificação do passeio na frente ou da fachada, o atendimento da demanda habitacional prioritária, o investimento em ações sustentáveis, a requalificação ou restauração do patrimônio histórico, a utilização de cobertura verde e ações em segurança pública nas edificações. A alteração do regime urbanístico faz parte do processo de revisão do Plano Diretor da cidade. A proposta libera 1 milhão e 180 mil metros quadrados de área com potencial construtivo.

O Prefeito de Cidreira, Alexsandro Contini de Oliveira, do PP, entregou para a Câmara Municipal da cidade do Litoral Norte, um pedido de renúncia do cargo. No documento, o mandatário alega “motivos de ordem pessoal” para a decisão. Neste ano, o prefeito foi alvo de processos parlamentares por suspeitas de irregularidades na gestão, o que pode ocasionar a cassação do mandato. Um dos processos trata de supostas irregularidades no uso de verbas do Fundeb. Outro processo analisado pela Câmara apurava problemas em contratos para a aquisição de três caminhões para o município. Em mensagem publicada na página da prefeitura na internet, Contini protestou contra processos abertos pela Câmara contra sua gestão, dizendo que “não quero mais fazer parte desse verdadeiro caos armado, na verdade, contra o povo, que não aguenta mais tudo isso”. O presidente da Câmara, o vereador Carlos Amarante Montano Bueno, também do PP, convocou o Legislativo para a posse do vice, Elimar Tomaz Pacheco, do PSDB, para a tarde de hoje.

Um ciclone extratropical deixa o tempo instável no Rio Grande do Sul nesta quinta-feira. Segundo a previsão, as áreas de instabilidade atingem primeiro as cidades da Fronteira Oeste, Região Sul e Campanha e, depois, avançam ao longo do dia para todas as regiões. Existe a possibilidade de temporais, com ventos de até 80 km/h. Nas cidades da metade Sul, pode haver queda de granizo. Amanhã, o sistema se desloca para o oceano, provocando chuva na metade leste e ventos fortes no litoral. No sábado, o ciclone se afasta do continente e o tempo volta a ficar firme no estado. A exceção será a faixa leste, onde pode ocorrer chuva fraca.


Compartilhe: