Fiocruz não recomenda retomada de eventos com aglomeração

Segundo os pesquisadores da Fiocruz, o mínimo de segurança só chegará com 80% da população total vacinada, incluindo adolescentes e crianças.

Compartilhe:

O Boletim do Observatório Covid-19 da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), divulgado nesta quinta-feira (4), não recomenda a retomada irrestrita de eventos com aglomeração antes da população brasileira esteja completamente vacinada.

Segundo os pesquisadores, o mínimo de segurança só chegará com 80% da população total vacinada, incluindo adolescentes e crianças.

“Vale lembrar que a população de adolescentes, pelo tipo de comportamento social que tem, é um dos grupos com maior intensidade de circulação nas ruas e convive com outros grupos etários e sociais mais vulneráveis. Por isso, é equivocado pensar que, com a população somente adulta coberta adequadamente, a retomada irrestrita dos hábitos que aglomeram pessoas é possível”, afirmaram.

De acordo com o boletim, a flexibilização das medidas de proteção contra a covid-19 devem acontecer de forma cautelosa, paulatina e em conjunto com outras medidas. Entre essas outras medidas, está a adoção do passaporte de vacina.

Os pesquisadores também destacam que países do Leste Europeu e os Estados Unidos vêm apresentando surtos de covid-19 em decorrência da baixa cobertura vacinal.

Por isso, para a Fiocruz, ainda é cedo para medidas como a desobrigação do uso de máscaras e a liberação de eventos presenciais com aglomeração.

 


Compartilhe: