Plantio da soja avança lentamente no RS por conta da umidade do solo

O tempo está interferindo na agricultura gaúcha. O plantio da soja, por exemplo,  avança lentamente no Rio Grande do Sul por conta da umidade do solo.

Compartilhe:

O tempo está interferindo na agricultura gaúcha. O plantio da soja, por exemplo,  avança lentamente no Rio Grande do Sul por conta da umidade do solo.

Nas regiões administrativas da Emater/RS-Ascar de Ijuí, Santa Rosa, Porto Alegre, Santa Maria, Soledade, Bagé, Frederico Westphalen e Pelotas, produtores iniciam a semeadura da soja.

Segundo a Seapdr (Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural), a elevada umidade no solo durante praticamente toda a semana não permitiu avanços significativos.

“Os produtores seguem com dessecações e preparo de novas áreas e se organizam com o escalonamento do plantio, a fim de minimizar os impactos de períodos de estiagem previstos nos modelos climatológicos”, disse a Seaprd.

Em algumas localidades, sojicultores estão lavrando e gradeando as áreas devido à alta infestação de ervas de difícil controle com herbicidas, aproveitando a atividade para aplicar e incorporar calcário.

Milho

O tempo instável no Estado restringiu os avanços no plantio do milho, que alcançou 70% da área total cultivada, estando em germinação e desenvolvimento vegetativo.

O custo de produção se elevou significativamente, em especial devido à alta no preço dos fertilizantes. Os valores pagos pelo tratamento extra ou complementar nas sementes de milho para o controle da cigarrinha também contribuem para o maior custo de produção.

Por conta da umidade, a colheita do trigo avançou de forma lenta no Estado, chegando a 9%, outros 51% da área cultivada está em fase de maturação, 35% em enchimento de grãos e 5% em floração.

 


Compartilhe: