Polícia Civil pede prisão de quatro estudantes de Medicina que receberam doses de diferentes vacinas

Os estudantes teriam omitido primeira dose para receber segunda aplicação de outro laboratório.

Compartilhe:

A Polícia Civil, através da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE), indiciou e solicitou a prisão dos quatro estudantes de Medicina da PUCRS, em Porto Alegre.

Eles foram indevidamente imunizados contra a covid-19 com doses de diferentes vacinas. Os universitários têm idades entre 22 e 25 anos.

Segundo a polícia, como havia falta da segunda dose do laboratório que eles haviam recebido a primeira aplicação, omitiram a informação para que pudessem ser imunizados com a vacina de outro laboratório.

Os quatro tomaram a primeira dose da CoronaVac, mas como o imunizante estava em falta no momento em que deveriam receber a segunda dose, os estudantes foram até um posto de vacinação e omitiram que haviam recebido a aplicação inicial para serem vacinados pela segunda vez com uma dose da Oxford/AstraZeneca.

Como fazem estágio em hospitais, os nomes deles constavam na lista de prioridades. A polícia solicitou à Justiça a prisão preventiva dos estudantes de Medicina, o que será averiguado.

O inquérito já foi encaminhado para o Poder Judiciário. As identidades dos universitários não foram divulgadas.


Compartilhe: