Municípios gaúchos rejeitam hipótese de terem aplicado vacinas vencidas contra a Covid-19

Compartilhe:

Prefeituras de diversos municípios gaúchos têm rejeitado a hipótese de terem aplicado doses de vacinas contra a Covid-19 vencidas. Levantamento feito pelo jornal Folha de S.Paulo, aponta que pelo menos 26 mil doses da vacina Covishield (Oxford/AstraZeneca/Fiocruz) teriam sido aplicadas fora do prazo de validade no Brasil. A controvérsia pode levar à necessidade desse grupo receber uma nova aplicação do imunizante.

Os dados sobre a aplicação de vacinas fora do prazo de validade consta no Sistema de Imunização, chamado pelo governo de SI-PNI. Esses dados embasam a reportagem da Folha, publicada nesta sexta-feira (2). Ainda não está claro se elas foram inseridas com a data errada no sistema ou aplicadas fora do prazo. O Ministério da Saúde, envolto nas acusações de corrupção ainda não se manifestou sobre a reportagem e não prestou qualquer esclarecimento à população.

Mas os municípios, que são os responsáveis por armazenar e aplicar os imunizantes, dizem que as informações divulgadas pelo jornal paulista não conferem. O secretário de Saúde de Santo Ângelo, Flávio Christensen, afirmou categoricamente que todas as vacinas administradas no município foram aplicadas dentro do prazo de validade constante na bula do imunizante. “A título de esclarecimento, informamos que recebemos na data de 25 de janeiro de 2021 o lote da vacina Fiocruz/Astrazeneca 4120Z005, com validade até 16/04/2021, contendo 1.000 doses, para aplicação da 1ª dose aos profissionais da área de saúde”, afirma. No entanto, conforme a reportagem da Folha de S.Paulo, ao menos 260 doses teriam sido aplicadas após a data de vencimento em Santo Ângelo.

Para o secretário, é um equivoco, pois doses de outros lotes não puderam ser computadas como segunda dose devido a um erro no SI-PNI. “No momento do cadastramento no Sistema do Ministério da Saúde, não constavam mais os lotes 243VC029W e 213VCD030Z  o que inviabiliza o preenchimento e finalização do programa. Devido a esta inconsistência, foram lançadas as vacinas da 2ª dose com o lote da 1ª dose [já utilizada até 11/02], assim, ocorrendo o apontamento, erroneamente, como vencidas, afirma Christensen. “Estamos retificando no sistema todos os lançamentos equivocados, para que conste o lote respectivo ao dia da vacinação, ou seja, dentro dos prazos de validade, seguindo o que preconiza o plano de vacinação”, conclui.

Já em Caxias do Sul, pesquisa realizada pela Secretaria Municipal da Saúde confirmou que nenhuma pessoa recebeu vacina com a data de validade vencida. Elas foram aplicadas antes de abril. Dados usados pela Folha apontam ao menos 50 aplicações “fora do prazo de validade”. Todas, segundo a reportagem do jornal paulista, seriam do lote 4120Z005.

Outra cidade gaúcha citada pela Folha é Santa Maria. Conforme nota da administração municipal, o lote 4120Z005 foi recebido no dia 25 de janeiro de 2021, e teve a aplicação entre janeiro e março para profissionais da saúde e idosos. A matéria da Folha cita 4 aplicações de vacinas após o dia 14 de abril, data de vencimento do lote.

Outra prefeitura que foi enfática no posicionamento contra a reportagem foi a de Bento Gonçalves, na Serra. “A Secretaria da Saúde esclarece e tranquiliza a população que no Município NENHUM lote fora da validade foi aplicado. Sendo realizados todos dentro do prazo estabelecido”, diz nota do município.

A reportagem do Agora RS não conseguiu obter posicionamento das prefeituras de Três Palmeiras, Santo Antônio das Missões, Canoas, Camaquã, entre outras, também citadas na reportagem do jornal Folha de S.Paulo.

Entenda a polêmica

Reportagem da Folha, publicada nesta sexta-feira (2), aponta a possibilidade de que prefeituras de diversos municípios do país negam terem aplicado doses vencidas da vacina AstraZeneca contra a Covid-19. A notícia se baseia em dados oficiais do Ministério da Saúde presentes no SI-PNI. Pelo menos 26 mil doses da vacina AstraZeneca foram registradas como fora do prazo de validade. Até o dia 19 de junho, os imunizantes com o prazo de validade supostamente expirado haviam sido utilizados em 1.532 municípios brasileiros.

Caso a aplicação tenha ocorrido fora da data estipulada na bula, há comprometimento da proteção contra a Covid-19.

Para saber se você recebeu a dose vencida, confira se o lote da dose da AstraZeneca que aparece em sua carteira de vacinação é um dos listados abaixo, com a data que foi aplicada.

  • Lote: 4120Z001 – vencida em 29 de março
  • Lote: 4120Z004 – vencida em 13 de abril
  • Lote: 4120Z005 – vencida em 14 de abril
  • Lote: CTMAV501 – vencida em 30 de abril
  • Lote: CTMAV505 – vencida em 31 de maio
  • Lote: CTMAV506 – vencida em 31 de maio
  • Lote: CTMAV520 – vencida em 31 de maio
  • Lote: 4120Z025 – vencida em 4 de junho

Compartilhe: