Mais de 800 doses de vacinas AstraZeneca constam como aplicadas fora da validade no RS

Segundo a SES, as vacinas fora da validade da AstraZeneca foram aplicadas em 75 municípios do Rio Grande do Sul.

Compartilhe:

A SES (Secretaria Estadual da Saúde) informou, nesta segunda-feira (5), que 877 das 313.630 doses de vacina da AstraZeneca/Oxford contra a Covid-19 foram aplicadas fora do prazo de validade. Segundo a SES, elas foram aplicadas em 75 municípios do Rio Grande do Sul. De acordo com a SES, o total de doses vencidas aplicadas corresponde a 0,27% do total daquelas distribuídas nos três lotes entregues ao Estado. O governo do gaúcho não divulgou quais são as cidades.

O relatório foi feito durante o fim de semana, após um levantamento apontar que 26 mil pessoas em todo o país pudessem ter recebido aplicações de vacinas vencidas.

Segundo o governo do RS, o documento, que traz o nome de todos os vacinados, para facilitar a busca, foi encaminhado nesta segunda-feira (5) às 18 Coordenadorias Regionais de Saúde, que repassarão os dados aos 75 municípios onde houve localização dos registros.

O Cosems (Conselho das Secretarias Municipais da Saúde) também recebeu o relatório, visando agilizar a verificação in loco.

“Em muitos casos, o município nem precisará fazer contato com o vacinado, porque claramente é uma falha no registro. Identificamos, por exemplo, o número do lote duplicado na primeira e segunda doses. Estamos orientando os municípios a retificarem no sistema quando observarem equívocos de registro”, explica a chefe da Divisão de Epidemiologia do Centro Estadual de Vigilância em Saúde, Tani Ranieri.

Para a diretora de Atenção Primária e Políticas de Saúde da SES, Ana Costa, a maior parte dos casos deve realmente se configurar como falha no registro.

“Muitos municípios já nos deram retorno de sua verificação e concluíram por equívocos de registro no sistema. Agora, com a lista dos 877 nomes, os municípios devem fazer buscas aos vacinados e verificar os casos um a um”, afirma.

De acordo com o  governo do Estado, se na verificação se observar algum caso em que a vacina foi aplicada fora do prazo de validade, a orientação do Ministério da Saúde é que o vacinado receba nova dose, no prazo mínimo de 30 dias após a aplicação da dose vencida.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), receber uma vacina vencida pode diminuir o efeito protetor, mas o fato não acarreta em risco de evento adverso.

O governo do Estado também divulgou os lotes analisados durante o levantamento.

Lotes analisados da AstraZeneca/Oxford 

  • Lote 4120Z005: distribuído em 25 de janeiro, com validade em 14 de abril
  • Lote CTMAV520: distribuído em 26 de março, com validade em 31 de maio
  • Lote 4120Z026: distribuído em 25 de fevereiro, com validade em 22 de junho

Compartilhe: