Temporais deixam desabrigados e danos em mais de 540 residências no Rio Grande do Sul

Maiores transtornos foram registrados no município de Sagrada Família, no Noroeste do Estado.

Compartilhe:

Mais de 2 mil pessoas foram afetadas pelos fortes temporais que atingiram o Rio Grande do Sul durante o fim de semana. Houve registro de tempestade com vento, queda de granizo e alagamentos. Ao menos 16 pessoas estão desalojadas por causa das tempestades.

Os maiores transtornos ocorreram em Sagrada Família, onde um temporal com vento forte causou destelhamentos e danos em construções. Ao menos 500 residências foram danificadas na área urbana e rural. Aproximadamente 1.900 pessoas foram afetadas, conforme a Defesa Civil. Prédios de órgãos públicos e empresas privadas também foram atingidos.

Conforme a Defesa Civil, uma pessoa ficou gravemente ferida por causa do temporal. Douglas Rafael Borth, 29 anos, estava dentro de casa quando uma parede desabou. Ele foi atingido e sofreu traumatismo craniano. O jovem foi encaminhado para o Hospital de Caridade de Palmeira das Missões, onde está internado em estado grave.

Em Santa Maria, ao menos 23 casas foram atingidas por alagamento ou destelhadas. Também houve transbordamento de arroios e obstrução de vias públicas. Ao menos 100 pessoas foram atingidas. Mata, também na região Central, teve registro de alagamentos por causa do aumento no nível do rio Poraima. Não há registro de danos em residências.

Ao menos quatro casas foram invadidas pelas águas do rio Rosário, em Santiago, na região Central. Também houve interrupção de estradas. Vinte pessoas foram afetadas pela cheia do rio Rosário.

Alegrete, na Fronteira Oeste, está em alerta para o crescimento do rio Ibirapuitã. A Defesa Civil emitiu alerta para a possibilidade de enchente após o curso de água atingir a cota de inundação.

E em Alto Alegre, ao menos 17 residências foram danificadas por causa de uma tempestade com granizo na área rural. Equipes municipais atendem 45 moradores, com a distribuição de lonas para a cobertura dos telhados. Não há registro de feridos, desabrigados ou desalojados, conforme a Defesa Civil.


Compartilhe: