RS recebe primeiro lote de vacinas da Janssen contra a covid-19

O principal diferencial desta vacina em relação aos demais já disponíveis é a necessidade de apenas uma dose

Compartilhe:

O primeiro lote de vacinas do laboratório Janssen, da Johnson & Johnson, chegou ao Rio Grande do Sul na  nesta quinta-feira (24). São 91.800 doses que serão distribuídas na sexta-feira (25).

O principal diferencial deste imunizante em relação aos demais já disponíveis é a necessidade de apenas uma dose, atingindo eficácia de até 85% para casos graves da doença depois de 28 dias da aplicação.

A eficácia global da vacina para casos leves, de acordo com a bula, é de 67% em todos os indivíduos. A carga foi transportada junto com outras 195,6 mil doses de Coronavac. Ainda para a tarde desta quinta-feira está programada a chegada de mais 147 mil doses da Pfizer.

Público e validade da Janssen

“Como a Janssen é dose única, sugiro que os municípios a utilizem para vacinar professores do ensino básico, para que esses profissionais possam voltar o quanto antes para a sala de aula”, aconselha a secretária da Saúde, Arita Bergmann.

O prazo original de validade dessa vacina era de três meses, segundo a empresa fabricante. Porém, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) determinou a ampliação desse prazo para quatro meses e meio, sob condições de armazenamento de 2°C a 8°C.

A decisão foi baseada na aprovação da agência reguladora de medicamentos dos Estados Unidos (FDA), que também estendeu a validade da vacina para o mesmo tempo. Esse primeiro lote recebido no Estado tem validade até 11 de agosto. Após a abertura do frasco, todas as doses devem ser aplicadas em até seis horas.

Esta vacina foi produzida com adenovírus humano e por tecnologia de DNA recombinante. Elas virão em ampolas com cinco doses de 0,5 ml cada em suspensão pronta para o uso, sem necessidade de diluição, como é o caso da vacina da Pzifer.

Isso facilita o uso das vacinas deste fabricante para drive-thrus, por exemplo.

 


Compartilhe: