Por onde começar, com quanto e quem procurar: descubra dicas para investir no mercado de ações

A popularização de criadores de conteúdo que falam sobre o mercado financeiro fez muita gente ir atrás de empresas que oferecem consultoria no mercado de ações.

Compartilhe:

Com a chegada da pandemia, a preocupação dos brasileiros em ter uma reserva de dinheiro para enfrentar momentos difíceis aumentou, e fez com que muitas pessoas pensassem nos gastos desnecessários que costumam ter no dia a dia e na importância de investir em bens como imóveis e ações.

Sim, o interesse dos brasileiros no mercado de investimentos cresceu nos últimos tempos. De acordo com os dados da B3 (Brasil Bolsa Balcão), em novembro de 2019 eram 1,6 milhão de contas cadastradas, já no mês de novembro de 2020, saltou para 3,17 milhões de contas cadastradas.

“A popularização de criadores de conteúdo que falam sobre o mercado financeiro fez muita gente ir atrás de empresas que oferecem consultoria no mercado de ações”, explica o educador financeiro Tiago Cespe.

“Algumas pessoas acabam perdendo dinheiro pois acreditam em propagandas enganosas ou promessas de dinheiro rápido, sem pesquisar o histórico do profissional que está oferecendo esse tipo de serviço”, afirma Cespe.

Para ajudar quem quer entrar no mercado de ações mas ainda possui algumas dúvidas sobre o assunto, o educador financeiro explica alguns tópicos que podem ser importantes no momento de se tornar um investidor, confira:

 Coloque tudo no papel

Mais importante do que saber com quanto começar e por onde, é traçar um plano de investimento e saber aonde você quer chegar.

Portanto, é importante verificar quais são os gastos desnecessários que você possui na sua rotina e guardar esse valor pensando no futuro, qual é o seu objetivo e suas metas, quanto você pretende investir, enfim, se programar antes para evitar perdas.

 Procure um profissional qualificado

A internet democratizou o acesso ao universo do mercado de ações. Graças aos portais que falam sobre o assunto e aos criadores de conteúdo, muita gente ficou interessada em investir. Porém, antes de aplicar o dinheiro tendo apenas como base o que viu em algum canal ou perfil de rede social, é importante procurar o auxílio de um profissional qualificado.

Procure sempre por escritórios com boa reputação, pesquise bastante o histórico profissional de quem gerencia e se tem alguma reclamação em sites especializados.

 Com quanto posso começar a investir?

Não existe uma resposta correta sobre quanto começar a investir. Aliás, o mundo dos investimentos nunca foi tão democrático quanto é agora.

Investindo aos poucos e regularmente, mesmo que uma quantia pequena, os recursos vão aumentando com o passar do tempo. Aliás, esse é o objetivo principal dos investimentos.

 Por onde devo começar?

Investimentos em Renda Fixa são boas indicações para quem está começando. Essa é a modalidade de investimento que costuma ser mais procurada por investidores que buscam mais segurança e rendimento estáveis. Se você não tiver nenhuma reserva de emergência, é o tipo de investimento mais recomendável.

O termo renda fixa possui esse nome justamente por ter uma rentabilidade previsível, data de vencimento, prazo de carência e valor mínimo definidos no momento da aplicação.

 Abra uma conta em uma corretora

A responsável por fazer a união do mercado de ações com os investidores são as corretoras de valores. Para quem pretende investir na bolsa de valores, é preciso abrir uma conta em uma corretora. É através dela que o investidor vai executar a compra e venda das ações, seja por telefone ou internet.

Existem diversas corretoras de valores no Brasil, então é bom pesquisar cada uma e ver quais são as características e os diferenciais oferecidos por elas para ver se está dentro do perfil que você busca.

 Investimento de curto e longo prazo

Antes de investir no mercado de ações, é bom saber que existe uma diferença entre um investimento de curto e longo prazo. Se o objetivo é ter um retorno financeiro o mais rápido possível, o ideal é o investimento de curto prazo, que geram retorno de até dois anos.

Já as aplicações de longo prazo, são ideais para quem busca uma aposentadoria tranquila e independência financeira no futuro, já que perduram por mais de dois anos ou até o profissional se aposentar.


Compartilhe: