PF investiga venda de dados de clientes por funcionário da Caixa

Servidor do banco é suspeito de vender os dados para uma financeira. Polícia Federal estima que mais de 120 clientes tiveram os dados violados.

Compartilhe:

A PF (Polícia Federal) deflagrou, nesta quinta-feira (6), encerrou um esquema de venda de dados de clientes da Caixa Econômica Federal. Um servidor do banco é suspeito de vender os dados para uma financeira. Policiais federais cumprem três mandados de busca e apreensão, em Porto Alegre.

Os crimes investigados na “Operação Data Venditionis” são violação de sigilo funcional e corrupção ativa e passiva. Conforme a PF, a investigação teve início em janeiro de 2021, com base em denúncia feita à Ouvidoria da Polícia Federal. Com as informações, os policiais começaram a investigar um servidor da Caixa, suspeito de violar dados de clientes.

Ele comercializava informações sobre empréstimos consignados para uma financeira de Porto Alegre. A Polícia Federal estima que 127 clientes no Rio Grande do Sul e nos estados do Amazonas, Santa Catarina e Paraná tiveram os dados violados. Eles tiveram suas informações pessoais compartilhadas sem consentimento.

A investigação teve acesso aos movimentos do investigado no sistema da Caixa. Ele fazia que os contratos de empréstimo fossem transferidos para a financeira. “Com a prática, há prejuízo à Caixa Econômica Federal, com redução da carteira de crédito e a consequente perda de faturamento”, afirma a PF.

Além de buscas na casa do funcionário do banco estatal, no bairro Menino Deus, os agentes da PF estiveram em mais dois lugares. Um deles foi a sede da financeira, na rua dos Andradas, e na residência do dono da empresa, no bairro Alto Petrópolis.

A investigação prossegue. O servidor foi afastado das funções e responde a processo administrativo. A Polícia Federal não divulga o nome dos investigados por causa da lei de abuso de autoridade.


Compartilhe: