Pesquisa pretende mapear violência contra artistas no Brasil

A pesquisa quer identificar se os artistas sofreram algum tipo de violência relacionada a seu trabalho ou se conhecem colegas que já passaram por essas situações.

Compartilhe:

O Observatório de Censura à Arte, projeto jornalístico que mapeia o cerceamento à liberdade de expressão artística no país, está propondo uma pesquisa on-line para compreender a percepção do cerceamento à liberdade de expressão artística no Brasil. O projeto tem financiamento do edital Criação e Formação Diversidade das Culturas, realizado com recursos da Lei Aldir Blanc nº 14.017/20.

A pesquisa pretende identificar se os artistas ouvidos já sofreram algum tipo de violência relacionada a seu trabalho ou se conhecem colegas que já passaram por essas situações. Para além da censura a obras de arte, o levantamento também tem como foco outras formas de ataque e intimidação, como ameaças, discurso de ódio, detenções e processos sofridos na Justiça

A pesquisa pode ser acessada no link do Google Formulários ou no Instagram @censuranaarte. No formulário, o entrevistado pode ficar anônimo. Além disso, a investigação busca um recorte voltado para os Direitos Humanos e questões como raça e gênero.

Aumento nas perseguições

Segundo o Observatório, tem aumentado o número de casos de censura no país, somados a episódios de investigação na Polícia Federal e processos judiciais contra artistas nos últimos anos. Em 2021, o Nonada registrou mais de 15 ataques e detenções a artistas do hip-hop, por exemplo.

O Observatório, inclusive, nasce no episódio do cancelamento da mostra Queermuseu, em Porto Alegre, em 2017. Desde então, a plataforma já mapeou mais de 50 casos, incluindo cancelamento de shows e palestras, destruição total ou parcial de obras de arte e até mesmo detenções de artistas durante ensaios


Compartilhe: