Festival traz mais de 79 apresentações gratuitas no Dia das Mães

O evento começa às 12horas e termina às 24h. E pode ser acessado pelo Facebook.

Compartilhe:

No domingo (9), ocorre a primeira edição do Festival 12 Horas no Circo Fazendo Arte. O evento é gratuito e acontece no Dia das Mães.

Capitaneado pela pedagoga e profissional da arte mágica, Lúcia Gomes, a atividade prevê 12 horas ininterruptas de espetáculos apresentados, de forma virtual. O evento começa às 12horas e termina às 24h. E pode ser acessado pelo Facebook.

“Vamos reunir toda a magia do circo e tudo o que ele representa em nossas vidas e em nossos sonhos. O mágico que surpreende, o palhaço que diverte, as danças e as músicas que encantam. Com trilhas musicais inspiradas nos anos 70 e 80. Oportunizando um espetáculo virtual, repleto de entretenimento e números exclusivos, com muito mistério e magia. Para curtir com amigos, colegas e a família, numa grande homenagem ao circo, à arte e à cultura, no Dia das Mães”, adianta Lúcia Gomes.

O Festival 12 Horas no Circo Fazendo Arte, reuniu mais de 90 artistas e profissionais do circo, palhaçaria, ventriloquia, mágicos, músicos, dançarinos e outros. Em função da pandemia todos se apresentaram, separadamente, no picadeiro, em um trabalho de mais de nove meses de envolvimento, até a finalização do projeto.

Entre os destaques, está o espetáculo de Tango com performance de Lúcia Gomes e Fernando Campani, cuja dança é realizada na grama.

“Além de envolver uma complexidade corporal e cênica, essa apresentação têm um significado maior. Buscamos trazer nela, uma metáfora da vida, mostrando toda a conectividade que precisamos manter com a música, um com o outro, conosco e com a natureza. Somos inquietos e buscamos a criatividade e o desafio, em tudo o que fazemos”, explica Lúcia.

E o famoso número do Globo da Morte, desta vez ganha um plus e tanto.  Além das motocicletas fazendo o seu tradicional ‘duelo’, dentro do globo um espetáculo de mágica, desafiando a equipe do projeto. Trata-se de um número de escapismo, que inicia com Lúcia Gomes amarrando o mágico Mateus Di Macedo em uma camisa de força.

Com uma moto, o experiente globista Alexandre Santos gira em seu entorno. E o mágico consegue libertar-se, em menos de 35 segundos. “Em tempos de pandemia, esse número também traz um grande significado”, adianta a diretora do festival.

Lúcia afirma que essa apresentação será levada ao Guinness Book e deverá ser reconhecida, em publicação voltada para todos profissionais da mágica.

 


Compartilhe: