Campo Bom inicia imunização de professores contra Covid-19

As aplicações das vacinas são feitas pelas equipes de vacinação volante e seguirão ocorrendo nas escolas até sexta-feira (14). Ao todo, serão 1,8 mil imunizações.

Compartilhe:

O município de Campo Bom, no Vale do Sinos, deu início à campanha de vacinação contra a Covid-19. As aplicações das vacinas são feitas pelas equipes de vacinação volante e seguirão ocorrendo nas escolas até sexta-feira (14). Ao todo, serão 1,8 mil imunizações.

A campanha de vacinação teve seus primeiros passos nas escolas Octacilio Fauth, de ensino fundamental, e a Dedinho de Ouro, de educação infantil. Foram 30 profissionais vacinados no primeiro momento, com doses da Astrazenaca/Fiocruz.

Ana Paula Fiuza, de 48 anos, diretora das escolas e que já se dedica há 26 anos à rede municipal, foi a primeira a receber o imunizante. “Foi uma emoção imensa, poder renovar a esperança, sabendo que estamos mais seguros, respeitando todos os protocolos, rigorosamente. E agora com a certeza de que, ali no futuro a gente possa retomar a vida. Estou muito feliz e me sinto mais segura, tanto para trabalhar, quanto para encontrar minha família em casa”, relatou a professora.

O prefeito Luciano Orsi reforça que a vacinação deste grupo já era uma ambição muito aguardada e que foi possível graças ao planejamento e agilidade das equipes. “Estávamos ansiosos por essa retomada. Lugar de professor e aluno é na escola. E queríamos garantir essa proteção o quanto antes, que além de ser para os profissionais, é para os alunos e para os pais”, disse Orsi, e apontou que a previsão é de que, até a sexta-feira (14), mais de 1,8 mil educadores sejam vacinados.

O secretário de Saúde, João Paulo Berkembrock, afirma que este avanço é resultado da dedicação de todos os técnicos da Secretaria de Saúde. “As equipes tem trabalhado sem medir esforços para que a vacina chegue a todos de forma ágil. Assim pudemos contemplar os grupos antecessores e oportunizar a imunização dos educadores, que já era um objetivo da Administração”.

A secretária de Educação e Cultura, Simone Schneider aponta a medida como um reforço à proteção que já era rigorosa. “É um grande alívio, principalmente por conta da retomada das aulas presenciais. Os cuidados continuarão firmes nas escolas, mas agora sabemos que há maior segurança para toda a comunidade escolar”.


Compartilhe: