Polícia investiga execução de bicheiro em via pública em Porto Alegre

Imagens de câmeras de videomonitoramento podem ser cruciais para chegar em quem cometeu o homicídio. Elas flagraram o suposto autor dos tiros fugindo a pé da cena do crime.

Compartilhe:

A Polícia Civil investiga a motivação e a autoria de uma execução em via pública em Porto Alegre. O assassinato ocorreu na tarde de sábado, em uma importante avenida da cidade. O alvo dos tiros é um bicheiro, de 72 anos, conhecido da polícia e que, nos últimos anos, esteve envolvido com os bingos clandestinos. Imagens de câmeras de videomonitoramento podem ser cruciais para chegar em quem cometeu o homicídio. Elas flagraram o autor dos tiros fugindo a pé da cena do crime.

O homicídio ocorreu, conforme a Polícia Civil, por volta das 17h de sábado (15), quando o motorista de uma Mitsubishi Pajero parou na sinaleira da avenida Princesa Isabel com a rua Santana. Um homem armado com um revólver calibre 38 desceu de um carro. Logo em seguida ele abordou o condutor da caminhonete e fez dois disparos contra ele. Uma das balas atingiu o pescoço e a outra a nuca do alvo.

O que poderia parecer uma tentativa de assalto logo mudou de perspectiva com a identificação do idoso morto. O idoso baleado e morto a poucos metros do Instituto de Cardiologia e da Escola de Enfermagem da UFRGS era João Carlos Franco Cunha, 72 anos, o Jonca. Ele era um velho conhecido da polícia, pois era um dos principais banqueiros do jogo do bicho em Porto Alegre, além de ser um dos empresários mais conhecidos do ramo de jogos.

No seu portfólio de negócios estavam atividades legais, como a propriedade de várias lotéricas e até uma livraria, e ilegais, como o envolvimento com o jogo do bicho e os bingos. Por anos foi o proprietário de alguns dos cassinos ilegais de maior renome da Capital: o Roma e o Coliseu, que funcionavam por meio de liminares nos anos 2000. Depois que os bingos foram postos na clandestinidade, o bicheiro Jonca seguiu atuando com eles. Por isso, responde a inquéritos por exploração de jogos de azar, corrupção ativa e formação de quadrilha.

Desde ontem (15), a Polícia Civil investiga o caso. Câmeras de um prédio próximo registraram a corrida de um homem com roupa de motoboy pela Princesa Isabel. Ele é o principal suspeito de atirar, através da janela do carro, contra o bicheiro. Como o suposto atirador correu no sentido da avenida Santana em direção à Gomes Jardim, a polícia busca novas câmeras que tenham flagrado não só a rota de fuga, mas se ele embarcou em uma moto ou carro e qual era a placa desses veículos.

A investigação corre, desde ontem, em sigilo. A Polícia Civil diz que não fornece mais informações para não atrapalhar as diligências em curso. Qualquer informação que ajude a polícia pode ser encaminhada através do telefone 181, o Disque Denúncia. A ligação é gratuita e anônima.


Compartilhe: