Trombas d’água e nuvens funil são registradas no Litoral do RS

As trombas d’água e nuvens funil foram registradas em Imbé e Tramandaí. Não há registro de prejuízos ou de feridos.

Compartilhe:

Trombas d’água e nuvens funil foram registradas na tarde deste sábado (17) em Tramandaí e em Imbé, no Litoral Norte do Rio Grande do Sul. Não há registro de prejuízos ou de feridos. Os eventos estão relacionados a áreas de instabilidade que atingiram a região.

Um dos registros ocorreu no balneário Imara, em Imbé. A tromba d’água (leia o que é esse fenômeno abaixo) deixou o mar e avançou sobre terra, configurando um tornado. O sistema era fraco e não há registro de danos.

Também houve registro de nuvens funil em Imbé e em Tramandaí, mas os fenômenos não chegaram a se tornar tornados. Em novembro de 2020, um tornado atingiu o município de Palmares do Sul, no Litoral Norte. Ele foi registrado por volta do meio-dia do dia 13 de novembro, uma sexta-feira. Não houve relatos de feridos e de danos materiais na região.

O que são tornados, nuvens funil e trombas d’água

Conforme o Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais), os tornados são formados pela redução súbita na pressão em certos pontos desses sistemas convectivos, o que faz com que o ar passe a girar ao redor dos pontos onde a pressão é inferior. Devido à intensa rotação, ocorre a formação de um cone que descende das nuvens. Antes de tocar o solo, essa formação recebe o nome de nuvem funil. Após o contato com o chão, considera-se o evento como um tornado.

As trombas d’água consistem em tornados formados sobre corpos d’água, como rios, represas, lagos, baías, mares ou oceanos. Tais eventos costumam apresentar ventos menos intensos em relação aos registrados pelos tornados. Mesmo assim, as trombas d’água podem representar perigo, sobretudo ao atingirem embarcações ou quando avançam às margens dos corpos d’água e passam a atuar em terra firme.


Compartilhe: