Renato Gaúcho não é mais treinador do Grêmio

Ele foi alvo de cobranças e contestações internas e externas após a eliminação do Grêmio na terceira fase da Libertadores, com nova derrota para o Independiente del Valle.

Compartilhe:

Após reunião da diretoria do Grêmio na manhã desta quinta-feira (15), Renato Gaúcho não seguirá como treinador da equipe tricolor. Ele foi alvo de cobranças e contestações internas e externas após a eliminação do Grêmio na terceira fase da Libertadores, com nova derrota para o Independiente del Valle. A saída ocorre “em comum acordo” com a direção, diz o clube.

“O Grêmio agradece o profissional pela sua dedicação, sua passagem vitoriosa com conquistas importantes, lealdade à instituição e por ter sido o técnico mais longevo no comando da casamata gremista. O herói do Mundial de 1983 tornou-se o primeiro brasileiro a ser campeão da Libertadores como jogador e treinador, devolveu o Clube ao caminho das glórias e reconquistou a hegemonia estadual”, diz a nota oficial do Grêmio.

Contratado em setembro de 2016, Renato estava há mais de quatro anos e meio no cargo. A informação da demissão foi repassada aos jogadores antes do treino desta tarde no CT Luiz Carvalho. Quem assume, interinamente, é Tiago Gomes.

Essa foi a terceira passagem do, agora, ex-técnico pelo Tricolor gaúcho. Além de comandar a equipe do Grêmio em mais de 400 jogos e do título da Libertadores, em 2017, Renato ajudou seus comandados a conquistar a Copa do Brasil de 2016, a Recopa 2018 e três Campeonatos Gaúchos.

Renato ainda se recupera da Covid-19, que contraiu no início do mês de abril. Ele não comandou a equipe diante dos equatorianos. Além dele, também deixam a comissão técnica, os auxiliares Alexandre Mendes e Victor Hugo Signorelli.

Nota do Grêmio

O Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense comunica o desligamento de Renato Portaluppi, em comum acordo com a direção, do comando técnico do Clube. O Grêmio agradece o profissional pela sua dedicação, sua passagem vitoriosa com conquistas importantes, lealdade à  instituição e por ter sido o técnico mais longevo no comando da casamata gremista. Ao lado do Grêmio, o ídolo Renato Portaluppi alcançou um patamar raro entre técnicos brasileiros. O herói do Mundial de 1983 tornou-se o primeiro brasileiro a ser campeão da Libertadores como jogador e treinador, devolveu o Clube ao caminho das glórias e reconquistou a hegemonia estadual. Também deixam a Comissão Técnica, os auxiliares Alexandre Mendes e Victor Hugo Signorelli.

Depois de quatro anos e sete meses, Renato deixa o Grêmio com os títulos da Copa do Brasil em 2016, Libertadores da América em 2017, Recopa Sul-Americana em 2018 e os títulos do Campeonato Gaúcho em 2018, 19 e 20 e da Recopa Gaúcha em 2019.

O Grêmio deseja êxito na continuidade da carreira de Renato Portaluppi e mantém suas portas sempre abertas ao profissional. 

O treinador da transição, Tiago Gomes, assume provisoriamente o comando da equipe.


Compartilhe: