Após aumento de casos de dengue no RS, Vigilância ambiental aplica “fumacê” em Santa Cruz do Sul

Ocorreram dois óbitos por dengue no Rio Grande do Sul, um em Santa Cruz do Sul e outro em Erechim.

Compartilhe:

Uma equipe da Vigilância Ambiental da Secretaria da Saúde do Rio Grande do Sul está participando, com a prefeitura de Santa Cruz do Sul, de uma operação de pulverização de inseticida contra o Aedes aegypti.

Esse mosquito é transmissor de dengue, zika vírus e chikungunya. De acordo com o governo do Estado, a pulverização ocorre nesta semana em três bairros, ao anoitecer a ao amanhecer, horários de maior atividade dos mosquitos.

Conforme o último boletim que apresenta os registros de casos da 14ª semana epidemiológica (de 4 a 10 de abril de 2021), ocorreram dois óbitos por dengue no Rio Grande do Sul, um em Santa Cruz do Sul (onde tem mais de 450 casos e 15 pessoas estão internadas com dengue) e outro em Erechim.

Foram registrados, ainda, 40 municípios com casos autóctones confirmados (contraídos no Estado) de alguma das três doenças.

Nestes municípios, foram notificados 3.349 casos suspeitos e 1.444 confirmados, sendo 1.400 casos autóctones, 850 foram descartados e 1.005 continuam em investigação.

Com relação à presença de criadouros e circulação do Aedes aegypti, 111 municípios no Estado já estão em alerta, conforme o levantamento dos índices da presença do inseto, realizado pelo Centro Estadual de Vigilância em Saúde.

A secretária da Saúde, Arita Bergmann, chamou a população gaúcha para, neste momento de pandemia de coronavírus, “ficar em casa e aproveitar o seu tempo para limpar o pátio”.

Com esta frase, a secretária buscou promover e conscientizar a sociedade sobre a importância das medidas de prevenção ambiental no combate ao Aedes aegypti.

Ela lembrou que “a população também tem responsabilidade com o cuidado do seu entorno para evitar que o mosquito se prolifere”.


Compartilhe: