UPAs de Porto Alegre enfrentam superlotação superior a 300% nesta quarta-feira

A pior situação é a do PACS (Postão da Cruzeiro), na zona Sul de Porto Alegre, que atende quase cinco vezes mais que a estrutura instalada.

Compartilhe:

O aumento exponencial de casos de coronavírus em Porto Alegre causa superlotação nas UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) da Capital. Dados da SMS (Secretaria Municipal da Saúde) apontam número de pacientes internados até quatro vezes maior que a capacidade. A pior situação é a do PACS (Postão da Cruzeiro), na zona Sul de Porto Alegre, que atende quase cinco vezes mais que a estrutura instalada.

Conforme os dados da SMS, estão em atendimento 172 pacientes na área de emergência das quatro UPAs da Capital. A capacidade nos pronto atendimentos é de apenas 45. As piores situações ocorrem nos extremos Norte e Sul da cidade.

Na UPA Moacyr Scliar, próximo ao Terminal Triângulo, estão em atendimento 65 pacientes, sendo que 58 estão internados em observação. No local, há apenas 17 leitos. Onze pacientes estão aguardando transferência para UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Na Sala de Urgência, sete pacientes estão em atendimento, mas o local tem apenas três leitos.

Já no Postão da Cruzeiro, a superlotação é ainda pior. São 58 pacientes em atendimento em apenas 12 leitos. Oito pacientes aguardam transferência para UTI e 44 esperam vagas em leitos clínicos. Na Sala Vermelha, há oito pessoas em atendimento, mas só há dois leitos. Na Laranja Adulto, são 20 pessoas para 6 leitos e na de Isolamento são 24 pacientes para quatro leitos. A Sala Amarela tem 6 pacientes e é a única que não está lotada, pois possui oito cadeiras.

Na Lomba do Pinheiro, há 9 leitos disponíveis, mas 29 pessoas estão internados na área de observação. No local, não há vagas na Sala de Observação, e nem na de Estabilização. A Sala de Isolamento tem um leito, mas atende 20 pacientes.


Compartilhe: