São Leopoldo requisita medicamentos de farmácias e veterinárias para atendimento de pacientes com Covid-19

Compartilhe:

O esgotamento do sistema de saúde estadual, regional e municipal apresenta um novo desafio em São Leopoldo. O estoque baixíssimo de medicamentos analgésicos, anestésicos e relaxantes musculares para tratar pacientes internados em leitos de UTI e leitos clínicos no Hospital Centenário, bem como para pacientes em leitos clínicos na Upa Zona Norte e no Centro de Saúde da Feitoria, fez a prefeitura requisitar às clínicas veterinárias, farmácias privadas para garantir a sedação dos pacientes.

Conforme o secretário de Saúde, Marcel Frison, a medida é emergencial e busca garantir o atendimento no momento de maior gravidade da pandemia.

“Precisamos unir esforços e estamos apelando até para as clínicas veterinárias e farmácias no sentido de garantir um mínimo de abastecimento desses anestésicos, considerando a absoluta falta no mercado e também uma falta de abastecimento do Governo Federal e mesmo do Estado com os insumos nesse grave dessa pandemia para atender a nossa população” reforçou Marcel.

Para a presidente do Hospital Centenário, Lilan Silva, a falta de medicamentos pode trazer consequência aos pacientes. “É uma ameaça real, estamos operando no limite com estoque praticamente zerado, a falta destes medicamentos nos obriga a usar alternativas de tratamento não tão confortáveis para o paciente”,  ressaltou.

O secretário de Proteção Animal de São Leopoldo, o veterinário Walter Leo Verbist, informou que já foram suspensas as cirurgias eletivas dos animais, como castrações e outros procedimentos agendados, e está operando apenas em situações de emergência.

 

 

 


Compartilhe: