MP apura denúncia contra médica que teria aplicado nebulização de hidroxicloroquina em pacientes

Segundo o hospital, a solução era preparada pela própria médica em seringas, sem consentimento dos farmacêuticos da unidade de saúde.

Compartilhe:

O Ministério Público do Rio Grande do Sul abriu, nesta terça-feira (23), um expediente para apurar a conduta de uma médica que teria aplicado nebulizações de hidroxicloroquina em pacientes com a Covid-19.

O caso foi denunciado pelo Hospital Nossa Senhora Aparecida, em Camaquã, e será analisado pela promotora Fabiane Rios. O procedimento realizado pela médica consistiria na diluição de hidroxicloroquina em soro fisiológico, aplicada em uma nebulização.

Segundo o hospital, a solução era preparada pela própria profissional em seringas, sem consentimento dos farmacêuticos da unidade de saúde.

De acordo com o Hospital Nossa Senhora Aparecida, a médica trabalha para uma empresa que presta serviço ao pronto-socorro da unidade, sem vínculo direto com a instituição.

Na denúncia, o hospital  apresentou 17 infrações éticas supostamente cometidas pela médica. Conforme o hospital, a profissional foi afastada.

Estudos 

Estudos feitos em várias partes do mundo desde o ano passado não comprovaram a eficácia da hidroxicloroquina no tratamento contra a Covid-19.

Em março, a OMS (Organização Mundial da Saúde) recomendou que o medicamento não seja usado como prevenção da doença.


Compartilhe: