Justiça mantém suspenso retorno das aulas presenciais no RS

Processo ainda não foi finalizado e, portanto, ainda há chances de reverter a decisão de suspensão das aulas.

Compartilhe:

A Justiça negou o pedido de revogação da liminar que suspendia o retorno das aulas presenciais na Educação Infantil e 1º e 2º anos do Ensino Fundamental no Rio Grande do Sul.

A solicitação foi realizada pelo Sinepe/RS (Sindicato do Ensino Privado do Rio Grande do Sul). O recurso acabou sendo negado pela juíza Cristina Luísa Marques da Silva, da 1ª Vara da Fazenda Pública do Foro Central da Comarca de Porto Alegre.

Mas a juíza deu prazo de cinco dias para ouvir a Associação de Mães e Pais pela Democracia, que foi quem moveu a ação pela suspensão das aulas, e o Ministério Público.

O presidente do Sinepe/RS, Bruno Eizerik, lamentou a decisão, mas acredita que o processo possa ser revertido.

“Nossa preocupação, além dos prejuízos pedagógicos e emocionais que trazem a privação do ambiente escolar, é com as famílias que não têm onde deixar seus filhos para voltar ao trabalho. Com a reabertura dos demais setores, muitos pais não têm um ambiente seguro para deixar as crianças”, disse.


Compartilhe: