Anvisa aprova uso emergencial da vacina da Janssen no Brasil

A Janssen, que é o braço farmacêutico da Johnson & Johnson, se torna o quarto imunizante liberado no país. As demais são as vacinas de Oxford, CoronaVac e Pfizer.

Compartilhe:

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou a vacina da Janssen contra a Covid-19 para uso emergencial no Brasil.

Seguindo a recomendação da área técnica da Anvisa, a maioria dos diretores votou pela permissão de uso com base em uma avaliação de que os benefícios da vacina superam os riscos trazidos por ela.

Assim, a Janssen, que é o braço farmacêutico da Johnson & Johnson, se torna o quarto imunizante liberado no país. As demais são as vacinas de Oxford, CoronaVac e Pfizer.

O governo federal já adquiriu 38 milhões de doses do imunizante. Diferentemente das vacinas de outros fabricantes, a da Janssen tem eficácia com apenas uma dose.

“Esta relatoria conclui que os especialistas da Anvisa avaliaram que vacina atende às expectativas da agência quanto aos requisitos de qualidade, segurança e eficácia”, concluiu a diretora da Anvisa Meiruze Freitas.

Conforme a área técnica, o imunizante pode ser aplicado em pessoas com mais de 18 anos, com ou sem comorbidades. A eficácia geral demonstrada pela farmacêutica no processo de submissão foi de 66,9%. Quando considerados casos graves, a eficácia comprovada foi de 76,7% após 14 dias e 85,4% depois de 28 dias.

O prazo de validade do imunizante é de três meses, e ele deve ser armazenado na temperatura entre 2°C e 8°C. Após o frasco ser aberto, o conteúdo pode ser utilizado em até seis horas.


Compartilhe: