Justiça condena responsáveis por superdosagem de vacina que matou menina em Caxias do Sul

A criança recebeu uma dose quatro vezes maior que o recomendado, o que debilitou seu sistema imunológico e seu desenvolvimento.

Compartilhe:

A 5ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul condenou a Fucs (Fundação Universitária de Caxias do Sul), uma enfermeira  e o município de Caxias do Sul por uma superdosagem da vacina tetravalente.

Em 17 de setembro de 2004, com seis meses de idade, Pollyana da Silva foi levada ao posto de saúde do bairro Esplanada para fazer a vacina tetravalente.

O preparo da vacina, que  previne de difteria, tétano, coqueluche e meningite, foi feito por estagiárias, que estavam sob a supervisão da enfermeira.

Contudo, a menina recebeu uma dose quatro vezes maior que o recomendado, o que debilitou seu sistema imunológico e seu desenvolvimento. Pollyana morreu aos oito anos, em 2013.

Como reparação, os réus foram condenados ao pagamento de indenização de R$ 150 mil a título de danos morais e materiais. Cabe recurso contra a decisão.

 


Compartilhe: