Governo do RS paga salários em dia pelo segundo mês consecutivo

Todas as matrículas receberão os vencimentos na quinta-feira, dia 30 de dezembro. No entanto, o décimo terceiro salário será parcelado em 12 vezes, como já divulgado. 

Compartilhe:

O governador em exercício Ranolfo Vieira Júnior anunciou, nesta terça-feira (29), a quitação em dia de todos os salários referentes à folha de dezembro de 2020. É o segundo mês em que os pagamentos serão em dia. Estado atrasou salários por mais de 50 meses, entre 2016 e outubro de 2020.

Em pronunciamento divulgado pelas redes sociais do governo, Ranolfo destacou as medidas que foram tomadas pelo Governo do Estado. “Depois de 57 meses de atraso, honraremos pelo segundo mês consecutivo o compromisso e pagaremos em dia os salários de professores, policiais, servidores da saúde e todos os demais trabalhadores do Executivo”, disse o governador em exercício, Ranolfo Vieira Júnior.

Também citou o pagamento de despesa de “gestões anteriores na área da saúde”. “Honrar compromissos, seja com servidores, municípios, hospitais, fornecedores, entre outros, seguirá sendo um dos nossos focos.

Todas as matrículas receberão os vencimentos na quinta-feira, dia 30 de dezembro de 2020. No entanto, o décimo terceiro salário será parcelado em 12 vezes, como já divulgado. O parcelamento de salários começou em julho de 2015. No fim daquele ano, com o acréscimo dos valores do IPVA, o governo do Estado conseguiu pagar em dia. Mas, a partir de fevereiro de 2016, os salários foram pagos por partes. Foram 57 meses até a primeira quitação integral.

IPVA ajudou a pagar as contas

O secretário da Fazenda, Marco Aurelio Cardoso, destacou que será possível pagar em dia os salários dos servidores pelo segundo mês consecutivo em virtude do rígido controle das despesas que o governo vem implementando, bem como pela gestão do fluxo de caixa e pela arrecadação antecipada do IPVA em dezembro.

Também colaboram para que a folha esteja em dia, depois de quase 60 meses, os efeitos das reformas, a retomada da arrecadação de ICMS nos últimos meses e o suporte da União em 2020.

“O pagamento em dia é resultado de várias medidas e não está sendo feito às custas da geração de outros passivos, como um atraso com fornecedores ou falta de pagamentos em saúde ou estradas, por exemplo. Ao contrário, reduzimos essas pendências. O quadro econômico ainda é incerto e há muitos desafios para 2021, mas estamos fazendo todos os esforços possíveis para manter mais essa conquista importante para a sociedade”, afirmou o secretário.


Compartilhe: