Demanda por leite vegano e derivados deve crescer mais de 200%

No segmento dos leites vegetais a expectativa é de crescimento na busca pelo produto

Compartilhe:

No Brasil, 14% da população se declara vegetariana, segundo pesquisa do IBOPE Inteligência conduzida em abril de 2018. No entanto, a Associação Brasileira de Supermercado (Abras) afirma que a demanda por produtos vegetarianos é maior do que a oferta no país e responde por boa parte dos mais de R$ 60 bilhões faturados pelo segmento de produtos naturais, anualmente.

No segmento dos leites vegetais a expectativa é de crescimento na busca pelo produto. Somam-se o  crescimento das doenças alérgicas à proteína dos leites de origem animal ao reconhecimento de que o leite de origem vegetal é mais saudável. Esses fatores devem impulsionar em mais de 200% a demanda no mercado brasileiro dos leites e derivados plant based, nos próximos cinco anos. O estudo da Mordor Intelligence calcula que 85% dos brasileiros possuem algum nível de intolerância à lactose do leite de origem animal, ante 69% dos chilenos e 60% dos argentinos.

O movimento também é favorecido pelo aumento na popularidade das dietas veganas, que estão sendo reconhecidas como mais benéficas para a saúde e uma forma de contribuir para a sustentabilidade do planeta. Além disso, o Brasil é o 6° colocado no ranking mundial de consumo de alimentos saudáveis, com crescimento de 20% ao ano enquanto a média global é de 8%.

Recentemente, a companhia brasileira Vida Veg anunciou a inauguração de uma fábrica no sul de Minas Gerais. Segundo os executivos, a fábrica é a maior e mais moderna no segmento de alimentos frescos refrigerados a base de vegetais.

A capacidade de produção da unidade pode alcançar R$ 60 milhões em faturamento, por ano. O portfólio de produtos 100% a base de plantas oferece aos consumidores iogurtes, requeijões, shakes proteicos, queijos, carne vegetal fresca e leites vegetais frescos a base de coco, amêndoas e castanha de caju.


Compartilhe: