fbpx

Pesquisa Ibope em Porto Alegre: Manuela tem 24%; Fortunati, 14%; Melo, 11%; e Marchezan, 9%

O levantamento, encomendado pelo Grupo RBS ouviu 805 eleitores, entre os dias 3 e 5 de outubro.
1ª pesquisa Ibope. Arte: Agora RS

Foi divulgada, nesta segunda-feira (5), a primeira pesquisa Ibope para Prefeitura de Porto Alegre. O levantamento, encomendado pelo Grupo RBS, ouviu 805 eleitores, entre os dias 3 e 5 de outubro. A margem de erro é de 3% para mais ou para menos e o índice de confiança é de 95%. O registro é TRE-RS 07152/2020.

Nesta pergunta, um disco com o nome dos candidatos é apresentado ao entrevistado. A abordagem foi presencial. A equipe de entrevistadores utiliza os equipamentos de proteção (EPIs) necessários para garantia da própria saúde e também a dos entrevistados.

Os entrevistados responderam a seguinte pergunta: “Se as eleições para prefeito de Porto Alegre fosse hoje e os candidatos fossem estes, em quem você votaria?”

  • Manuela D’Ávila (PCdoB): 24% das intenções de voto;
  • José Fortunati (PTB): 14%;
  • Sebastião Melo (MDB): 11%;
  • Nelson Marchezan Júnior (PSDB): 9%;
  • Juliana Brizola (PDT): 5%;
  • João Derly (Republicanos): 4%;
  • Fernanda Melchionna (PSol): 3%;
  • Valter Nagelstein (PSD): 3%;
  • Gustavo Paim (PP): 1%;
  • Júlio Flores (PSTU): 1%

Luiz Delvair (PCO), Montserrat Martins (PV) e Rodrigo Maroni (PROS) não pontuaram nesta pesquisa. Brancos e nulos somam 13%. Não sabe/não opinou: 11%.

O Ibope pontua que, no cenário apresentado, Manuela D’Ávila tem folga em relação aos outros candidatos. Fortunati, Sebastião Melo e o atual prefeito Nelson Marchezan Júnior estão tecnicamente empatados, considerando que a margem de erro da pesquisa, que é de 3 pontos percentuais.

Juliana Brizola encontra-se tecnicamente empatada com o atual prefeito e com Melo, sendo que com este último o empate técnico ocorre no limite da margem de erro.

Rejeição

O levantamento do Grupo RBS também buscou identificar quem os eleitores não votariam de nenhuma maneira.

  • Machezan tem rejeição de 37% dos entrevistados;
  • Manuela D’Ávila tem rejeição de 28%;
  • José Fortunati tem rejeição de 15%;
  • Júlio Flores tem rejeição de 8%;
  • João Derly tem rejeição de 7%;
  • Sebastião Melo tem rejeição de 7%;
  • Gustavo Paim tem rejeição de 6%;
  • Rodrigo Maroni tem rejeição de 6%;
  • Juliana Brizola tem rejeição de 5%;
  • Valter Nagelstein tem rejeição de 5%;
  • Fernanda Melcionna tem rejeição de 4%;
  • Luiz Delvair tem rejeição de 3%;
  • Montserrat Martins tem rejeição de 2%.

Poderia votar em qualquer um dos candidatos: 3% dos entrevistados. Não sabem em quem votar ou preferiram não opinar: 14%.

O objetivo de uma pesquisa eleitoral não é antecipar os resultados da eleição, mas sim o de mostrar o cenário no momento em que foi realizada. A pesquisa é uma fotografia do momento e não tem o poder e nem a intenção de prever o resultado de uma eleição. Por isso, seus resultados não podem ser usados para prever o resultado das urnas.

Leia também

Total
5
Share