fbpx

Johnson & Johnson suspende teste de vacina anti-Covid

O medicamento está na terceira e última fase de ensaios em humanos e foi desenvolvido pela indústria farmacêutica belga Janssen.
Foto ilustrativa: Freepik

A multinacional Johnson & Johnson suspendeu nesta segunda-feira (12) os ensaios clínicos de sua candidata a vacina contra o coronavírus Sars-CoV-2, após um dos participantes dos testes ter contraído uma doença ainda desconhecida.

O medicamento está na terceira e última fase de ensaios em humanos e foi desenvolvido pela indústria farmacêutica belga Janssen, que pertence ao grupo americano Johnson & Johnson. Dois Hospitais gaúchos estão entre as instituições brasileiras que participam do estudo: o Hospital de Clínicas de Porto Alegre e o Grupo Hospitalar Conceição.

“Interrompemos temporariamente a aplicação de novas doses em todos os nossos testes clínicos da vacina candidata contra a Covid-19, devido a uma doença inexplicada em um participante do estudo”, diz um comunicado da multinacional.

Com isso, um comitê independente será convocado para avaliar a situação e determinar se os testes podem continuar. Esse tipo de suspensão é comum na terceira fase dos ensaios clínicos de possíveis vacinas, etapa em que o medicamento é aplicado em uma grande quantidade de pessoas para avaliar a segurança e eficácia de sua imunização.

Ainda não se sabe se a doença em questão está ligada à vacina da J&J. A última etapa dos ensaios clínicos começou no fim de setembro, com o objetivo de recrutar cerca de 60 mil voluntários nos Estados Unidos e em outros países do mundo, como África do Sul, Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México e Peru.

A vacina se baseia em um adenovírus causador de resfriado, porém inativo, combinado com a proteína spike, que o Sars-CoV-2 utiliza para agredir as células humanas.

Em setembro, uma doença inexplicada já havia causado a suspensão dos testes da vacina de Oxford, uma das mais avançadas em todo o mundo, mas os ensaios foram retomados logo em seguida.

Leia também

Total
6
Share