fbpx

Grêmio perde para o Santos e fica para trás no Brasileirão

Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

O Grêmio perdeu por 2 a 1 para o Santos, na Vila Belmiro, em uma ensolarada tarde de domingo na cidade paulista, pela 15ª rodada do Brasileirão. O resultado complicou de vez a situação do Tricolor no campeonato. O destaque da partida foi o atacante Marinho, do Peixe, que confirmou o ótimo momento, marcando dois gols contra o ex-clube.

Primeiro Tempo

O Santos começou melhor. Tocava a bola com rapidez e envolvia a defesa do Grêmio.  A primeira chegada foi logo aos 2 minutos, em uma cabeçada de Arthur Gomes. Logo em seguida, viria mais uma chance, com Kaio Jorge, de fora da área.

O gol do Peixe se desenhava quando, aos 17, em um cruzamento da direita, a bola bate na mão de Paulo Miranda, que estava com o braço aberto. Pênalti para os paulistas. Marinho foi para a bola e deslocou Vanderlei, com um toque sutil, embaixo da bola, colocando o Santos em vantagem.

Até o Santos marcar, o Grêmio não havia feito nada para merecer o gol. Sua primeira chegada foi aos 31, em um escanteio, que Diego Souza cabeceou para fora. O Santos, ao contrário, não mudou sua forma de jogar. Se manteve mais perto de ampliar o marcador do que o Tricolor de empatar.

Aos 34, o meia Jean Mota, do Santos, chuta de canhota de chapa de fora da área na trave direita de Vanderlei. O Grêmio, em seguida, respondeu de longe com Lucas Silva, mas, minutos depois, Diego Pituca, do Santos, quase marcou de letra, dentro da área gremista.

O movimentado primeiro tempo acabaria com 60% de posse de bola para o Santos, com um volume de jogo que corresponderia a esse número, com 7 chutes a gol, contra 3 do Grêmio.

Segundo Tempo

Na etapa final o Grêmio, por obrigação tentou sair mais. Trocou mais passes no campo adversário, ainda que nenhuma chance de gol tenha sido criada. O Santos esperava uma bobeira dos gaúchos e, logo aos 5 minutos, chutou outra bola na trave em uma escapada. Jean Mota cruzou rasteiro da linha de fundo para Marinho que, de dentro da área, por pouco não amplia.

Com esse cenário, o jogo começou a ficar mais catimbado, com os jogadores reclamando faltas para o juiz. Aos 20, o Grêmio pediu pênalti em um lance um pouco parecido com o que gerou o gol do Santos, mas o árbitro Bráulio da Silva Machado interpretou que o braço de Felipe Jonatan estava recolhido.

Depois desse lance, finalmente o Grêmio começou a dar sinais de que podia empatar. Aos poucos, se aproximava da área do Peixe, até que, aos 27, Isaque tocou para Pepê na esquerda. Ele dominou de frente para o marcador e cruzou rasteiro para trás. A bola chegou até Diego Souza que, com o lado do pé direito, tocou no canto esquerdo do goleiro João Paulo. Era o empate do Grêmio.

O jogo estava em aberto. Não havia ninguém superior. Mas aos 32 apareceu o grande nome do Santos no Brasileiro: Marinho. O Santos fez uma jogada pela esquerda e veio o cruzamento. Marinho se antecipou a defesa gremista, mas foi derrubado por trás pelo zagueiro David Braz. O árbitro recorreu ao VAR para marcar a penalidade. Marinho foi a para a bola e acertou novamente, deslocando Vanderlei pela segunda vez, mas com um chute mais forte, no canto direito.

O Grêmio partiu para o tudo ou nada, mas só criou com um chute de Maicon de fora da área, já aos 51. A necessidade de empatar fez o Grêmio perder as estribeiras. Houve tempo para David Braz ser expulso em uma falta cometida em Marinho, de novo ele, na marca de escanteio defensiva no finzinho da partida.

Situação e próxima rodada

O placar afasta ainda mais o Tricolor gaúcho da possibilidade de brigar pela parte de cima da tabela, estacionando na 12ª posição do campeonato, com 17 pontos, a 13 do líder Atlético-MG. O próximo jogo do Grêmio é pelo Brasileiro, na quarta-feira, às 19h15, contra o Botafogo na Arena.

Ficha técnica

Santos

João Paulo; Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan (Laércio); Jobson, Diego Pituca e Jean Mota (Madson); Marinho, Kaio Jorge (Lucas Lourenço) e Arthur Gomes

Técnico: Cuca

Grêmio

Vanderlei; Orejuela, Paulo Miranda (Rodrigues), David Braz e Bruno Cortez (Diogo Barbosa); Lucas Silva (Maicon), Thaciano e Robinho (Isaque); Luiz Fernando, Diego Souza (Everton) e Pepê

Técnico: Renato Portaluppi

Leia também

Total
2
Share