Pesca Esportiva: Uma modalidade em crescimento no RS

O esporte, diferente da pesca predatória, se preocupa com o meio ambiente e tem envolvido amigos e famílias inteiras em torno de competições.

Compartilhe:

Ísis tem apenas 6 anos de idade e já é uma das praticantes de uma modalidade que vem crescendo no Rio Grande do Sul: a pesca esportiva.

Ela está aprendendo com o pai, Marcelo Zvir de Oliveira, e já coleciona experiência na área. A família de Passo Fundo é uma das que confirmou presença no 3º Circuito Sesc de Pesca Esportiva, que começa neste mês de setembro e segue até dezembro movimentando o Estado.

“A pesca pra mim está no sangue e vem de família, desde criança pesco e, após o casamento, minha esposa Suelen sempre me acompanha em pescarias, acampamentos e contato com a natureza em geral. Com a chegada da Ísis, em 2014, continuamos com os programas mais rurais e de contato com a natureza”, contextualiza Marcelo.

Hoje, Ísis e Oliveira são uma dupla e desde 2019 participam da competição.

Pandemia

“Acredito sim que a pesca esportiva em pesqueiros [locais próprios para a prática do esporte] é uma das modalidades que mais cresce no Rio Grande do Sul”, opina Oldair Oldair José Meinerz, da Alba Pesca & Lazer, de Tenente Portela, um dos locais que vai receber etapa desta edição.

Em funcionamento desde dezembro de 2019, o espaço sofreu com a chegada da pandemia, mas ele espera uma breve recuperação.

“Como estávamos iniciando as operações quando começou a pandemia, pra nós tem sido um baque muito grande. Esperamos que o mais breve possível consigamos voltar às competições, pois montei o pesqueiro especialmente para receber a pesca esportiva e tivemos que nos adaptar para sobreviver. Eventos como o do Sesc só vem para fortalecer e unir forças com a gente. Eventos bem organizados são poucos e estou muito feliz em poder sediar uma etapa do circuito”, declara Meinerz.

Circuito

O 3º Circuito Sesc de Pesca Esportiva, que começa em 13 de setembro em Nicolau Vergueiro e contará com um total de quatro etapas.

As inscrições se esgotaram em tempo recorde e 30 duplas seguem nas provas até dezembro. Além de Nicolau Vergueiro, Guaporé (18/10), Tenente Portela (22/11) e Nova Pádua (13/12) integram o circuito.

As dez melhores duplas do ranking final recebem, além de troféus, premiação em dinheiro.


Compartilhe: