Caso Kiss: assistente de palco será julgado em Porto Alegre

Luciano Bonilha Leão, integrante da banda Gurizada Fandangueira, foi o único réu a não pedir o desaforamento

Compartilhe:

Réu no incêndio da Boate Kiss, em Santa Maria, Luciano Bonilha Leão será julgado em Porto Alegre. A decisão, divulgada nesta quinta é do Tribunal de Justiça, que acolheu pedido do Ministério Público.

O assistente de palco da banda Gurizada Fandangueira é um dos quatro implicados no caso ocorrido no dia 27 de janeiro de 2013. Ele foi o único a não pedir o desaforamento.

Os promotores de Justiça designados para o júri do Caso Kiss, Lúcia Helena Callegari e David Medina da Silva, comemoraram a decisão. “A Justiça teve sensibilidade e entendeu que é importante que todos os acusados sejam julgados juntos para evitar maior sofrimento das vítimas e de seus familiares”, disse Lúcia Helena Callegari.

David Medina da Silva complementou: “Além de aumentar a angústia das vítimas e familiares, julgar os réus separadamente seria ruim para a Justiça, que teria que fazer vários julgamentos complexos em vez de apenas um; e ruim para a sociedade, que pagaria mais caro por isso”.

Marcelo de Jesus, Mauro Hoffmann e Elissandro Spohr tiveram deferidos pela Primeira Câmara Criminal os pedidos de desaforamento para Porto Alegre, alegando o risco de parcialidade dos jurados caso fossem submetidos a julgamento em Santa Maria.

O MP se manifestou contrariamente. Porém, diante da decisão judicial que impossibilitou reunir todos os réus em um mesmo júri na cidade do fato, pediu ao Tribunal de Justiça que o último acusado também tivesse seu julgamento transferido para Porto Alegre.


Compartilhe: