fbpx

Boschilia diz que faltou “malandragem” para o Inter diante do Bahia

Na estreia do terceiro uniforme, o Inter tropeçou jogando em casa neste domingo.
Foto: Ricardo Duarte/Internacional

Na estreia do terceiro uniforme, o Inter tropeçou jogando em casa neste domingo (6). No Beira-Rio, o time de Eduardo Coudet recebeu o Bahia para a disputa de partida da oitava rodada do Brasileirão. O duelo teve o 2 a 2 como placar final, gols de Patrick e Thiago Galhardo para o Inter.

Com o resultado, o colorado, que na próxima quinta-feira (10) enfrenta o Ceará, no Beira-Rio, segue na primeira colocação nacional, com 17 pontos.

Na contramão do que o primeiro minuto de partida poderia sugerir, a etapa inicial do duelo entre Inter e Bahia transcorreu de maneira bastante truncada.  Aos 19 do minutos do primeiro tempo o Bahia abriu o placar, com gol de Rodriguinho.

A resposta colorada chegou logo depois. D’Alessandro pressionou a defesa adversária, retomou a posse e serviu Galhardo, que cruzou na cabeça de Patrick. Como um atacante, ele testou forte, direto para a meta de Claus. Com o 1 a 1 no placar, as equipes desceram para o vestiário.

O Inter retornou para a etapa final disposto a virar a partida. É bem verdade que o Bahia, cada vez mais fechado, incomodava as tramas ofensivas alvirrubras, mas, inteligente, o time do Inter não teve problemas em apostar na bola aérea. Assim viu Cuesta sofrer, aos 17 minutos, pênalti cometido por Gregore. Thiago Galhardo, cirúrgico, marcou.

Em desvantagem no marcador, a equipe visitante passou a somar cada vez mais atacantes e, de tanto pressionar, empatou. Clayson, aos 51, fez, também da marca da cal, o segundo gol do Bahia.

Na zona mista

Na zona mista os jogadores do Inter não esconderam frustração após empatar com o Bahia. “Sai líder, mas com gostinho amargo. Desde o primeiro minuto buscamos o jogo, fizemos os gols. No final, tomamos o gol. Agora, é trabalhar para sair com os três pontos no próximo jogo”, disse Boschilia.

Para o meia, faltou malandragem diante do Bahia. “Pode ter faltado um pouco de malandragem no final, de ter ficado com a bola, segurado ela. Mas acho que o time está bem, fazendo o que o treinador está pedindo.”

“A conversa que a gente teve lá [no vestiário] tem que ficar lá. É corrigir os erros, trabalhar mais para sempre buscar a vitória”, completou Boschilia.

Leia também