Facebook remove administradores da página do portal Agora no RS

A empresa foi acionada, mas não se manifestou, até o momento, com um solução para o problema. As publicações nas páginas do Agora no RS no Facebook não foram afetadas porque os editores não foram removidos. 

Compartilhe:

O Facebook removeu, sem apresentar nenhuma justificativa, os três administradores da página do Agora no RS na plataforma. A empresa foi acionada, mas não forneceu nenhuma explicação sobre a remoção. O problema também atinge as publicações das páginas Plantão RS e Agora no Tempo.

A remoção ocorreu na noite de terça-feira (21), sem nenhum aviso prévio ou alerta. Desde então, os acessos dos três administradores não estão mais disponíveis. Ou seja, eles veem as páginas afetadas pelo bloqueio como usuários. O Facebook tem conhecimento do problema desde a quarta-feira (22), mas não tomou nenhuma providência para restabelecer as funções (leia mais a seguir).

O diretor do Agora no RS, Leonardo Severo, além de ser removido da página que criou, teve as contas de anúncios no Facebook Ads, de criador de conteúdo no Creator Studio, de desenvolvedor de aplicativos no FB Apps e de gerente de negócios no FB Business deletadas. Algumas funções executadas por essas atribuições vinculadas são de vital necessidade para o portal. Por exemplo, uma aplicação criada no FB Apps – e agora excluída – é a que permite que o leitor veja os títulos e fotos de maneira correta nos links publicados no Facebook. A remoção também impede coisas simples, como programar publicações, pois estas estavam sendo feitas pela plataforma Creator Studio.

Dois editores, no entanto, foram mantidos em suas funções, o que levanta a suspeita de que a retirada seja uma ação da rede social e não um ataque hacker. Por isso, é possível ainda realizar a publicação dos conteúdos do portal no Facebook. “Não há nada que justifique a remoção dos administradores das páginas. Até porque, há cerca de um mês, nós tentamos, justamente, verificar as propriedades junto a plataforma para obter o ‘selo azul’, de autenticidade da marca”, explica Severo.

Plataforma não oferece resposta

Um ticket de suporte para que os administradores tenham suas funções de volta foi aberto na quarta-feira da semana passada (22). Uma resposta da empresa foi recebida, por e-mail, na manhã da quinta-feira (23), apresentando a hipótese de bloqueio apenas na conta de Severo. O representante do Facebook não apresentou justificativas para o suposto impedimento. Severo replicou a mensagem, apresentando um quadro detalhado da situação, apontando que o problema não se restringia apenas a conta dele.

O suporte do Facebook só voltou a prestar novas informações nesta segunda-feira (27). A resposta foi que “Essa restrição aplicada, foge do nosso escopo de trabalho [sic]”. E que “se você fez a apelação, basta acompanhar sua caixa de entrada do suporte”. A empresa voltou a ser instada a prestar esclarecimentos, mas até agora não informou nada que possa explicar o que houve.

“O Facebook, às vezes, parece que age contra o jornalismo profissional, pois é leniente com páginas que criam conteúdo totalmente falso e pune, sem motivo algum, quem produz conteúdo dentro do Código de Ética dos Jornalistas”, lamenta Severo. “Se a situação não for resolvida, nós vamos abraçar a ideia do jornal Folha de S.Paulo e deixar de publicar no Facebook. A empresa não controla quem faz fake news, não valoriza quem é jornalista profissional e ainda não dá nenhum suporte ao publisher quando há um problema”, conclui o diretor.

Na manhã de segunda-feira (27), a reportagem entrou em contato com a divisão de imprensa do Facebook pedindo um posicionamento da empresa sobre as políticas de bloqueios de perfis na plataforma. No entanto, o Facebook não respondeu até esta quinta-feira (30).

Como receber as notícias do Agora no RS sem depender do Facebook

O Agora no RS é um portal de notícias que publica os links para seus conteúdos em várias plataformas. Você pode receber nossos conteúdos através do Twitter @agoranors, do Instagram @agoranors e do nosso canal no YouTube e através do Google Notícias. Em março, o portal disponibilizou grupos no WhatsApp e Telegram, para que os usuários possam receber as notícias diretamente nos seus celulares.


Compartilhe: