fbpx

Fórmula 1 cancela corridas no Japão, Singapura e Azerbaijão

(ANSA Brasil) – A Fórmula 1 anunciou nesta sexta-feira (12) o cancelamento dos Grandes Prêmios do Japão, de…

(ANSA Brasil) – A Fórmula 1 anunciou nesta sexta-feira (12) o cancelamento dos Grandes Prêmios do Japão, de Singapura e do Azerbaijão por conta da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

Questões ligadas ao deslocamento das equipes até os países e a falta de garantias para a aplicação de medidas sanitárias rígidas estão entre os motivos apresentados para o cancelamento.

“Como resultado de desafios contínuos apresentados pela Covid-19, nós e os promotores no Azerbaijão, Singapura e Japão tomamos a decisão de cancelar suas corridas para a temporada 2020. As decisões foram tomadas devido aos diferentes desafios que os nossos promotores enfrentam nesses países”, ressaltou em comunicado a F1.

“Em Singapura e no Azerbaijão, longos prazos necessários para a construção dos circuitos de rua impossibilitaram a realização dos eventos durante um período de incerteza. E, no Japão, restrições contínuas de viagens também levaram à decisão de não prosseguir com a corrida”, diz ainda a nota.

Com isso, um campeonato com várias etapas fora da Europa fica cada vez mais distante. Até o momento, oito foram confirmadas e todas são no Velho Continente. A Liberty Media, empresa dona da F1, tenta ao menos terminar a disputa em dezembro em Abu Dhabi, fazendo com que a temporada tenha entre 15 e 18 etapas. Mas, a situação para as outras nações parece cada vez mais complicada.

Antes dos três GPs cancelados hoje, já haviam sido anuladas as corridas na Austrália, Holanda, França e Mônaco, e adiadas as provas do Bahrein, Canadá, China e Vietnã – que ainda não foram remarcadas.

As etapas na Rússia, Estados Unidos, México e Brasil ainda não tem posicionamento definido, mas todas essas nações ainda apresentam um descontrole no número de casos da doença – mesmo com as flexibilizações ocorrendo -, o que pode ser um grande ponto negativo para a realização das disputas.

Na nota em que anunciou o cancelamento, no entanto, a F1 agradeceu o interesse demonstrado por diversas nações em abrigar novas provas da categoria e que isso está sendo avaliado. Há rumores, por exemplo, que a Itália – com Ímola – poderia sediar uma prova de maneira excepcional para completar o ano.

O calendário atual conta com o início da temporada em 5 de julho, na Áustria, país que tem também a etapa seguinte, no dia 12. Após as corridas austríacas, vem o GP da Hungria, no dia 19.

A Inglaterra também sedia duas provas: o tradicional GP do país, em 2 de agosto, e dos 70 anos da F1, no dia 9 – ambas em Silverstone.

No dia 16 de agosto, a Espanha tem o GP em Barcelona e, na sequência vem as provas da Bélgica (30/08) e da Itália, em 6 de setembro, no circuito de Monza.

Notícias relacionadas