Roberto Jefferson e ativistas bolsonaristas são alvos de ação contra fake news

Compartilhe:

A PF (Polícia Federal) deflagrou, nesta quarta-feira (27), uma operação contra divulgadores de notícias falsas, as chamadas “fake news”. O ex-deputado Roberto Jefferson; o empresário Luciano Hang, dono da Havan; assessores de parlamentares, ligados ao PSL, e ativistas bolsonaristas estão entre os alvos.

Conforme a PF, estão sendo cumpridos 29 mandados de busca e apreensão. As ordens judiciais estão ligadas ao inquérito 4.781, do Supremo Tribunal Federal, que é presidido pelo ministro Alexandre de Moraes.

O principal foco da operação é um grupo suspeito de operar uma rede de divulgação de notícias falsas. Além do grupo que atuaria para divulgar as informações mentirosas, são investigados quatro possíveis financiadores. O alvo dessas “fake news” são autoridades, dentre elas, membros do STF (Supremo Tribunal Federal).

As ordens judiciais estão sendo cumpridas no Distrito Federal, Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso, Paraná e Santa Catarina. No Estado vizinho, um dos alvos é o empresário Luciano Hang, dono da Havan. Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos em um endereço ligado a ele na cidade de Brusque, onde mora. Lá também está o centro de operações da loja que comanda.

Outro alvo é o ex-deputado federal Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB. Ele recentemente fez ameaças à democracia ao publicar uma foto com um fuzil “os traidores”. Ele é ex-aliado do ex-presidente Fernando Collor de Melo (1990-1992) e um dos condenados no escândalo do mensalão. No entanto, virou defensor efusivo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Outros alvos da operação são os bolsonaristas Allan dos Santos (blogueiro); Sara Winter (ativista); Rey Biannchi (humorista); Edgard Corona, CEO das redes de academias Bio Ritmo e Smart Fit, e o investidor Otávio Fakhoury, apoiador de Bolsonaro.

Oitiva de deputados

Oito deputados bolsonaristas serão ouvidos pela Polícia Federal. Nenhum deles é alvo de busca e apreensão. Entretanto, todos terão que prestar depoimento e não podem apagar publicações em redes sociais. As oitivas serão realizadas  com os deputados federais Bia Kicis (PSL-DF), Carla Zambelli (PSL-SP), Daniel Lúcio da Silveira (PSL-RJ), Filipe Barros (PSL-PR), Junio do Amaral (PSL-MG), Luiz Phillipe Orleans e Bragança (PSL-SP), além dos deputados estaduais Douglas Garcia (PSL-SP) e Gil Diniz (PSL-SP).


Compartilhe: