Eduardo Leite apresenta modelo de distanciamento controlado do RS, saiba mais

Compartilhe:

O governador Eduardo Leite apresentou, neste sábado (9), o modelo Distanciamento Controlado do Rio Grande do Sul no combate à pandemia do coronavírus.

O Decreto nº 55.240, que estabelece o modelo, será publicado neste domingo e passa a valer oficialmente a partir da 0h de segunda-feira (11) em todo o território gaúcho.

Na próxima semana, o uso de máscaras passa a ser obrigatório em todo o território gaúcho. “A máscara é uma determinação e estamos confiando na sociedade como apoiadores desta medida, deste novo comportamento, para que assim seja possível reduzir o avanço do coronavírus”, afirmou Leite.

A cidade de Passo Fundo mudará da bandeira vermelha para a laranja, diminuindo as restrições às atividades do comércio e da sociedade.

Baseado na segmentação regional e setorial, o Distanciamento Controlado prevê quatro níveis de restrições, representados por bandeiras nas cores amarela, laranja, vermelha e preta, que irão variar conforme a propagação da doença e a capacidade do sistema de saúde em cada uma das 20 regiões pré-determinadas.

Como vai funcionar

O modelo de distanciamento envolve duas dimensões: regional e setorial. Os dados desses dois segmentos são cruzados para definir o risco epidemiológico e o nível do distanciamento exigido em cada uma das 20 regiões e em cada um dos 12 grupos de atividades econômicas definidos.

O monitoramento será diário, mas a atualização da bandeira ocorrerá semanalmente, divulgada sempre aos sábados, valendo para a semana seguinte.

Basta acessar o site para conferir: https://distanciamentocontrolado.rs.gov.br

 

Risco calculado

Cada região será avaliada por meio de 11 indicadores consolidados em dois grandes grupos com pesos iguais na definição final:

• propagação (velocidade do avanço, estágio da evolução e incidência de novos casos sobre a população);
• capacidade de atendimento (capacidade de atendimento e mudança da capacidade de atendimento).

Conforme o grau de risco calculado com pesos diferenciados para cada indicador, as regiões recebem uma cor de bandeira.

Bandeiras

Um dos principais pontos do novo modelo social controlado, são as bandeiras, que indicam o nível em que a região está e quão restritivas devem ser as medidas adotadas naquele local.

Amarela – risco médio/baixo

Laranja – risco médio

Vermelha – risco alto

Preta – risco altíssimo

“Se estamos em uma bandeira amarela e passamos para a Laranja, é preciso intensificar as medidas e respeitar”, ressaltou o governador.

Regiões 

Neste plano de distanciamento, para aplicar os níveis de risco, o governo juntou 30 Regionais de Saúde e as dividiu em 20 regiões, que levam o nome da cidade mais populosa do local.

1. Santa Maria (R01 e R02)
2. Uruguaiana (R03)
3. Capão da Canoa (R04 e R05)
4. Taquara (R06)
5. Novo Hamburgo (R07)
6. Canoas (R08)
7. Porto Alegre (R09 e R10)
8. Santo Ângelo (R11)
9. Cruz Alta (R12)
10. Ijuí (R13)
11. Santa Rosa (R14)
12. Palmeira das Missões (R15 e R20)
13. Erechim (R16)
14. Passo Fundo (R17, R18 e R19)
15. Pelotas (R21)
16. Bagé (R22)
17. Caxias do Sul (R23, R24, R25 e R26)
18. Cachoeira do Sul (R27)
19. Santa Cruz do Sul (R28)
20. Lajeado (R29 e R30)

Setores

O modelo divide as atividades econômicas em 12 grupos, sendo que cada um é dividido em tipos e subtipos.

Por exemplo, “Serviços” tem 14 tipos diferentes, entre os quais “artes, cultura, esportes e lazer”, que está subdividido em quatro subtipos: “casas noturnas, bares e pubs”; “eventos, teatros, cinemas”; “academias”; e “clubes sociais e esportivos”.

Confira os grupos:

• Administração pública
• Agropecuária
• Alojamento e alimentação
• Comércio
• Educação
• Indústria da construção
• Indústria de transformação e extrativista
• Saúde
• Serviços
• Serviços de informação e comunicação
• Serviços de utilidade pública
• Transporte


Compartilhe: