Com receio por nova queda de juros e coronavírus, dólar dispara para R$ 5,17

A cotação do dólar voltou a disparar na manhã desta quarta-feira (18), com forte receio dos investidores. O Copom (Comitê de Política Monetária) deve reduzir, novamente, os juros brasileiros.

Compartilhe:

A cotação do dólar voltou a disparar na manhã desta quarta-feira (18), com forte receio dos investidores. O Copom (Comitê de Política Monetária) deve reduzir, novamente, os juros brasileiros. Somado a isso, há a crise econômica causada pelo novo coronavírus.

A divisa americana chegou, por volta das 9h30, a ser cotada a R$ 5,1680. É o maior valor nominal já registrado desde 1994, quando o Plano Real foi criado.

No mercado futuro, quando a Bolsa de Valores ainda não começou as negociações ordinárias, há forte queda. Pode indicar o acionamento, mais uma vez, do “circuit breaker“, quando a bolsa precisa interromper as atividades por cerca de meia hora devido a uma queda maior de 10%.

O contrato futuro do Ibovespa abriu o dia em queda de 9,64%, na faixa dos 67.430 pontos. Por volta das 9h45, o mercado futuro apontava queda de 8,65%. A Bolsa de Valores de São Paulo abre as 10h.


Compartilhe: