Fumaça de incêndios florestais na Austrália deve atingir o Rio Grande do Sul

Os devastadores incêndios florestais que atingiram a Austrália, causando 23 mortes, podem refletir no clima da América do Sul. A fumaça causada pelas chamas pode atingir o Rio Grande do Sul entre terça e quarta-feira.

Compartilhe:

Os devastadores incêndios florestais que atingiram a Austrália, causando 23 mortes, podem refletir no clima da América do Sul. É o que avaliam meteorologistas da Somar Meteorologia, que identificaram que a fumaça causada pelas chamas atingiu o Chile e a Argentina. As cinzas, fuligem e outras partículas devem atingir o Rio Grande do Sul entre terça-feira (7) e quarta (8).

A fumaça percorreu uma vastidão de 10 mil quilômetros sobre o Oceano Pacífico. Em entrevista ao G1, o meteorologista Fábio Luengo, da Somar, explicou que as partículas foram trazidas pelos jatos de altos níveis da atmosfera. São correntes de ar, que sopram de Oeste para Leste.

A nuvem da Austrália já pode ser verificada na Argentina e no Chile, conforme Fábio. E a chegada de uma frente fria vindo do Sul do continente, com ventos soprando de sudoeste, deve empurrar os resquícios dos incêndios florestais sobre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

A Somar ainda alerta para o risco que a fumaça traz para a saúde humana. “A combinação da umidade do ar baixa com a fumaça é muito prejudicial ao sistema respiratório”, afirmou Luengo ao G1.

“Se houver chuva e pegar a fumaça, os particulados da fumaça chegam ao solo e podem trazer prejuízos para lavouras, pecuária, açudes e quaisquer outros reservatórios de água, além de provocar uma chuva mais ácida”, alertou o meteorologista.


Compartilhe: