fbpx

Rodoviários fazem operação tartaruga em corredores de ônibus de Porto Alegre

Passageiros que usam o transporte coletivo por ônibus enfrentam problemas para chegar até o Centro Histórico de Porto…
Foto: EPTC / Divulgação

Passageiros que usam o transporte coletivo por ônibus enfrentam problemas para chegar até o Centro Histórico de Porto Alegre nesta segunda-feira (9). O motivo foi um protesto de rodoviários, que fazem uma “operação tartaruga” entre 7h e 10h da manhã. A categoria é contra o projeto que pretende acabar com a função de cobrador na cidade.

As manifestações ocorreram nos principais corredores da Capital: avenidas Osvaldo Aranha, Protásio Alves, Bento Gonçalves, João Pessoa e Farrapos. Na Osvaldo Aranha, a manifestação começou em frente ao HPS (Hospital de Pronto Socorro). Os rodoviários seguiram em caminhada até o Túnel da Conceição e Rodoviária, onde chegaram por volta das 9h50.

Na Farrapos, o protesto começou perto da rua Ramiro Barcelos. Os rodoviários caminharam até a Rodoviária, onde encontraram os colegas por volta das 9h. Ambos grupos seguiram até a Prefeitura de Porto Alegre, percorrendo a avenida Mauá, de acordo com a EPTC (Empresa Pública de Transporte e Circulação).

Dezenas de passageiros decidiram descer dos coletivos por conta da manifestação. Muitos seguiram a pé até o Centro. Também houve reflexo nas tarifas dinâmicas de aplicativos de transporte, que chegaram a cobrar até 3x o valor normal de uma corrida por causa da operação tartaruga.

Por conta do protesto, há restrição também aos carros de passeio. Conforme a EPTC, os tempos semafóricos alterados em alguns trechos para diminuir os congestionamentos.

As vias com maiores problemas até 10h30 da manhã eram: Av. Mauá; Protásio Alves próximo a Vicente da Fontoura (B/C); Av. da Azenha próximo a Av. Dr. Carlos Barbosa (B/C); Érico Veríssimo próximo a R. Botafogo; e Cristóvão Colombo próximo a Ramiro Barcelos

O projeto

De acordo com o projeto, a tripulação, composta por motoristas e cobradores, poderá sofrer redução gradativa de sua composição. O texto também prevê que as vagas de cobrador não sejam repostas pelas empresas.

Se aprovada a proposta, o pagamento da tarifa, entre as 22h e 4h, deverá ser efetuado exclusivamente por meio de cartão de Bilhetagem Eletrônica. O texto ainda prevê pagamentos via cartão de débito, cartão de crédito ou outras formas eletrônicas, mas que precisariam de regulamentação.

Em sua justificativa ao projeto, o prefeito Nelson Marchezan Júnior destaca uma migração para um modelo em que a cobrança da tarifa seja efetuada por meio de novas tecnologias. Conforme ele, plataformas que possibilitem ao usuário interagir diretamente com equipamentos de controle embarcados.

Foto: EPTC / Divulgação
📰 Receba as notícias do Agora no seu WhatsApp e Telegram
Notícias relacionadas