Moreira Franco e coronel Lima chegam para depor na sede da PF no Rio

Compartilhe:

Após passarem a noite na Unidade Prisional da Polícia Militar, em Niterói, o ex-ministro Wellington Moreira Franco e João Batista Lima Filho, conhecido como coronel Lima, foram levados, na manhã desta sexta-feira (22), para prestar depoimento na sede da Polícia Federal do Rio de Janeiro, onde o ex- presidente Michel Temer está preso.

Os dois foram detidos ontem, juntamente com outras oito pessoas, numa operação da Lava Jato no Rio. Por ser ex-presidente, Temer foi autorizado a ficar em uma sala especial na superintendência da PF. Moreira Franco está detido em uma unidade prisional em Niterói, município vizinho ao Rio, onde também está preso o ex-governador Luiz Fernando Pezão.

A Lava Jato do Rio diz que Temer é suspeito de liderar uma organização criminosa para desvios de dinheiro público que atua há 40 anos no Rio. O Ministério Público Federal (MPF) no Rio de Janeiro afirma que a soma dos valores de propinas recebidas ou prometidas ao suposto grupo chefiado pelo ex-presidente Michel Temer ultrapassa R$ 1,8 bilhão.

Foi verificado por meio de escutas telefônicas que coronel Lima “era a pessoa que intermediava as entregas de dinheiro a Michel Temer”. “Não há dúvidas quanto a isso”, disse a procuradora da República Fabiana Schneider, que também integra a força-tarefa da Lava Jato no Rio.

Moreira Franco é acusado de negociar o pagamento de propina, no valor de R$ 1 milhão, à Engevix em obras relativas à usina nuclear Angra 3. Ele foi governador do Rio de Janeiro no período de 1987 a 1991.

Segundo os procuradores do Ministério Público Federal, que chegaram na sede da PF por volta das 11h, informaram que os depoimentos serão colhidos de forma separada. O caso que está com o juiz Bretas trata das denúncias do delator José Antunes Sobrinho, dono da Engevix.


Compartilhe: