Presos suspeitos de participarem de execuções na Cidade Baixa, em Porto Alegre

Compartilhe:

A Polícia Civil deflagrou, na manhã desta segunda-feira (11), a operação Xeque-Mate, visando coibir a violência entre dois grupos criminosos rivais que disputam o controle do tráfico de drogas em Porto Alegre. Foram cumpridos 20 mandados de busca e apreensão e cinco mandados de prisão preventiva, na Capital e em Viamão.

De acordo com a delegada Roberta Bertoldo, titular da 2ª DPHPP (Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa), os mandados judiciais estão relacionados a dois crimes relevantes ocorridos na Capital. Um dos casos é a execução de três pessoas no bairro Cidade Baixa, em 26 de janeiro. Outras três pessoas ficaram feridas.

Durante as investigações, a Polícia Civil apurou que a tripla execução está relacionada à rivalidade entre duas facções. Depois do crime na Cidade Baixa, segundo a delegada, “houve ainda outros atentados ao prédio que abriga um dos grupos criminosos, fazendo com que se acirrassem as divergências e deixassem seus integrantes cada vez mais em estado de alerta”.

No decorrer do inquérito sobre as execuções na Cidade Baixa, foram identificadas seis pessoas, que seriam responsáveis pela execução e planejamento do crime. Todos os envolvidos possuem antecedentes criminais por tráfico de drogas, roubo e homicídios. Três suspeitas de terem participado do ataque foram presos nesta segunda-feira.

A Polícia Civil concluiu que o alvo do ataque era Roger Abreu de Oliveira, de 24 anos, que tinha dois mandados de prisão contra ele por homicídio. Ele era procurado pela Polícia Civil e ameaçado por facções rivais, conforme a delegada Roberta Bertoldo.

O segundo caso relacionado à operação é o homicídio de um frentista em um posto de combustíveis no bairro Jardim Botânico, em dezembro de 2018. “A investigação constatou que a vítima, ao se desvincular da facção criminosa a que pertencia e integrar grupo rival, passou a ser ameaçada até sua execução”, relatou a delegada Roberta Bertoldo. Foram identificados os quatro executores, todos com antecedentes por tráfico de drogas e homicídios.


Compartilhe: