Na véspera do crime completar um mês, ato pede justiça para Marielle Franco e o motorista Anderson em Porto Alegre

Grupo iniciou ato na Esquina Democrática. Foto: Vanessa Cunha/Especial

Marcado para as 18h na Esquina Democrática, o ato “Justiça para Marielle e Anderson – 30 dias sem resposta” reuniu manifestantes no início da noite em Porto Alegre. O evento, divulgado pelo Facebook, ganhou as ruas na véspera de completar-se um mês do assassinato da vereadora e seu motorista no Rio de Janeiro. Entre os presentes, o deputado Pedro Ruas, a vereadora Fernanda Melchionna e ainda Roberto Robaina e Luciana Genro, todos políticos do PSOL, mesmo partido da vereadora assassinada.

A caminhada foi da Esquina Democrática até a Praça da Alfândega, onde, com um carro de som, os manifestantes se pronunciaram pedindo justiça.

Quem era Marielle

Marielle Franco, militante do Movimento Negro, da causa feminista, da causa LGBT, “cria da Maré”, vereadora pelo PSOL na cidade do Rio de Janeiro, a 5ª mais votada, militante em defesa do Direitos Humanos, foi brutalmente assassinada na noite do dia 14 de março. Vítima desse atentado também foi o motorista Anderson, que trabalhava com Marielle. Os autores ainda não foram descobertos ou punidos, e a investigação acontece em sigilo.

Direitos Humanos

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), órgão da Organização dos Estados Americanos (OEA), vai discutir no dia 8 de maio o caso da vereadora e da proteção às pessoas que defendem os direitos humanos.

Deixe um comentário para este conteúdo